De olho nas negociações EUA-China, milho se desvaloriza em Chicago nessa sexta-feira

Publicado em 29/03/2019 12:31 e atualizado em 29/03/2019 17:18
83 exibições

LOGO nalogo

A Bolsa de Chicago (CBOT) opera com os preços internacionais do milho apresentando desvalorizações nessa sexta-feira (29). As principais cotações registravam quedas entre 1,75 e 3 pontos por volta das 12h08 (horário de Brasília).

O vencimento maio/19 era cotado a US$ 3,71, o julho/19 valia US$ 3,80 e o setembro/19 era negociado por US$ 3,88.

Segundo análise de Tony Dreibus da Successful Farming, o mercado segue atento às movimentações nas negociações comerciais entre China e Estados Unidos. O representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer, e o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, estão em Pequim para negociações de alto nível que começaram ontem.

Pequenas notícias estão fluindo das negociações, como de costume, embora o vice-primeiro-ministro chinês, Liu He, esteja programado para visitar Washington na semana que vem. Os lados vêm conversando há meses em uma tentativa de acabar com a guerra comercial entre as duas maiores economias do mundo.

Enquanto isso, as vendas de milho totalizaram 904.500 toneladas, um aumento de 6% em relação à semana anterior e de 5% em relação à média das últimas quatro semanas, informou o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) em um relatório.

A China foi o grande comprador em 300.000 toneladas, o Japão seguiu com 228.800 toneladas e o México, 191.500 toneladas. Taiwan comprou 136.000 toneladas e a Colômbia adquiriu 84.100 toneladas de milho norte-americano. Um comprador desconhecido cancelou remessas para 128.900 toneladas.

B3

Já a bolsa brasileira apresenta resultados misturados nessa sexta-feira, mas ainda próximas da estabilidade. As principais cotações registravam movimentações entre 0,75% negativo e 0,12% positivo.

O vencimento maio/19 era cotado a R$ 37,02, o julho/19 valia R$ 34,36 e o setembro/19 era negociado por R$ 34,54.

De acordo com a Agrifatto Consultoria, as variações foram mais comedidas para o indicador do CEPEA nesta semana, com as cotações variando ao redor de R$ 38,50/sc. O último fechamento ficou em R$ 38,61/sc (+0,49%).

A relativa estabilidade acontece após rápida trajetória de queda ao longo de março, acumulando variação negativa de 7,20% neste mês, e retornando aos níveis de preços registrados ao final de janeiro.

Certa estabilidade também se registrou para as cotações futuras, com os valores resistentes em superar o atual equilíbrio de preços. As cotações trabalham de maneira mista.

Tags:
Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário