Milho: Em sessão volátil, mercado encerra a 3ª com leves altas na Bolsa de Chicago

Publicado em 30/04/2019 17:25 e atualizado em 01/05/2019 09:27
163 exibições

LOGO nalogo

Em mais uma sessão de volatilidade, as cotações futuras do milho negociadas na Bolsa de Chicago (CBOT) fecharam a terça-feira (30) em campo positivo. Depois de trabalhar dos dois lados da tabela, os vencimentos do cereal finalizaram o dia com pequenas altas entre 0,50 e 1,25 pontos.

O maio/19 encerrou o pregão a US$ 3,53 por bushel, enquanto o julho/18 era cotado a US$ 3,62 por bushel. O setembro/19 finalizou a terça-feira a US$ 3,70 por bushel. As posições acumularam valorizações entre 0,14% e 0,36%.

Conforme informações reportadas pela agência Reuters internacional, o mercado do milho está sendo sustentado pela as previsões de mais chuvas no Meio-Oeste americano que podem atrasar ainda mais a semeadura da cultura. Entretanto, ainda existe janela de plantio a frente, mitigando os riscos climáticos.

Segundo análise de Bryce Knorr da Farm Futures, os preços do milho continuaram a ganhar pequenos ganhos relacionados ao clima em algumas compras técnicas na terça-feira. “Foi outro dia misto, mas predominantemente pessimista, para os mercados de grãos com o milho encerrando com pequenos ganhos, já que previsões úmidas poderiam desacelerar o progresso do plantio no final desta semana”, diz Knorr.

Mercado Interno

Já no mercado interno, as cotações exibiram ligeiras movimentações em véspera de feriado, em comemoração ao Dia do Trabalhador, no Brasil. Segundo levantamento da equipe do Notícias Agrícolas, em Campinas (SP), a saca registrou uma queda de 5,56% e fechou o dia R$ 33,49.

Em Luís Eduardo Magalhães (BA), a queda foi de 4,29%, com a saca de milho a R$ 33,50. Na região de Cascavel (PR), o perda foi de 3,85%, com a saca a R$ 25,00. Em Ubiratã (PR), a desvalorização foi de 1,96% com a saca a R$ 25,00.

Já em Pato Branco (PR), a saca caiu 1,84% e fechou a terça-feira a R$ 26,70. Na região de Dourados (MS), a cotação do milho está ao redor de R$ 26,50 a saca e registrou uma desvalorização de 1,85%.

De acordo com a Agrifatto Consultoria, o reajuste da tabela dos fretes preocupa os produtores rurais pela proximidade com o período de colheita do cereal, devido a relação ajustada entre o valor da matéria-prima e do frete, o que deve acarretar em maior desafio de escoamento do milho safrinha.

Dólar

A moeda norte-americana encerrou a sessão desta terça-feira com queda de 0,49%, negociado a R$ 3,922 na venda. "O dólar fechou em queda ante o real nesta terça-feira e terminou abril apenas em leve alta, num mês marcado por forte volatilidade decorrente das incertezas sobre a Previdência e do clima mais conservador no ambiente externo", reforçou a Reuters.

Tags:
Por: Andressa Simão
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário