Semana acaba com grande valorização para o milho na Bolsa de Chicago

Publicado em 24/05/2019 17:07
1772 exibições

LOGO nalogo

A sexta-feira (24) chega ao final com grandes valorizações para os preços internacionais do milho futuro na Bolsa de Chicago (CBOT). As principias cotações registraram altas entre 10,00 e 14,50 pontos.

O vencimento julho/19 era cotado à US$ 4,04, o setembro/19 valia US$ 4,12 e o dezembro/19 era negociado por US$ 4,19.

Segundo análise de Ben Potter da Farm Futures, os preços do milho subiram quase 4% na sexta-feira, com os futuros de julho chegando a US $ 4 pela primeira vez em um ano. Os futuros de julho encerraram a semana com ganhos totais de cerca de 5,5%.

“Os comerciantes estão começando a antecipar uma produção moderadamente menor este ano, depois que o progresso do plantio continua a ficar significativamente mais lento do que o normal”, aponta Potter.

O Cinturão do Milho está enfrentando outra semana muito úmida pela frente, com mais precipitações esperadas em grande parte dos EUA centrais até o final do mês, de acordo com o mais recente mapa de precipitação acumulada de sete dias da NOAA. Além disso, a NOAA também está prevendo um verão mais úmido que a média, como relatou a agência em sua perspectiva sazonal de três meses.

“Há previsões para o cinturão de milho do centro-oeste do país ganhar chuva nas próximas duas semanas. Eles não estão preocupados apenas em plantar milho. Eles estão definitivamente preocupados com a soja não sendo plantada também”, disse Tomm Pfitzenmaier, analista da Summit Commodity Brokerage em Iowa.

De acordo com informações da Agência Reuters, espera-se que alguns agricultores atrasados ​​pelo clima ainda plantem milho ou soja após os prazos finais de plantio especificados nas apólices de seguro de safra, após os quais os níveis de cobertura começam a declinar. O plantio posterior também pode reduzir o potencial de rendimento.

Mercado Interno

Já no mercado interno, os preços do milho disponível permaneceram sem movimentações em sua maioria. Em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, a única praça que apresentou desvalorização foi o Oeste da Bahia (3,45% e preço de R$ 28,00).

As valorizações apareceram em Pato Branco/PR (1,77% e preço de R$ 28,70), Ubiratã/PR, Londrina/PR e Cascavel/PR (1,89% e preço de R$ 27,00), Porto Paranaguá/PR (2,78% e preço de R$ 37,00), Castro/PR (3,03% e preço de R$ 34,00) e Brasília/DF (3,57% e preço de R$ 29,00).

A XP Investimentos destaca que o mercado de grãos encerra a semana com poucos negócios e valorização na saca. A amostra da consultoria tem média em R$ 35,83/sc, alta de R$ 1,80/sc ou 5,30% na semana.

“De maneira geral, agentes seguem de olho em Chicago, cuja volatilidade tem aumentando com as consecutivas notícias de Guerra Comercial, Peste Suína e dos acompanhamentos de plantio norte-americano. A volatilidade de preços impacta as referências de porto e a indefinição sobre o direcional das referências continua”, dizem os analistas.

Enquanto isso, no Brasil, as colheitas ganham ritmo. O Imea anunciou na sexta-feira (17) o início de colheita no Mato Grosso. No Paraná, o Deral indica trabalhos adiantados, atualmente em 3,0% do total plantado para o estado.

Confira como ficaram as cotações nessa sexta-feira:

>> MILHO

Tags:
Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário