Bolsa de Chicago segue em alta para o milho após atraso recorde no plantio americano

Publicado em 04/06/2019 12:16 e atualizado em 04/06/2019 17:04
241 exibições

LOGO nalogo

A valorização segue presente na Bolsa de Chicago (CBOT) para os preços internacionais do milho futuro ao longe desta terça-feira (04). As principais cotações registravam altas entre 2,75 e 3,25 pontos por volta das 12h02 (horário de Brasília).

O vencimento julho/19 era cotado à US$ 4,27, o setembro/19 valia US$ 4,36 e o dezembro/19 era negociado por US$ 4,45.

Segundo análise de Tony Dreibus da Successful Farming, o milho saltou no comércio da madrugada depois que o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) disse que o plantio ainda está bem atrás da média para esta época do ano.

A safra de milho dos Estados Unidos foi de apenas 67% plantada até o domingo, bem abaixo da média anterior de cinco anos de 96%, disse o USDA em relatório divulgado ontem. O plantio estava quase completo neste período do ano passado. Além disso, apenas 46% da cultura emergiu do solo, atrás dos 84% ​​normais.

Em Iowa, cerca de 80% estavam no solo, atrás da média de 99%. Em Illinois, apenas 45% foram plantados no início desta semana, quando normalmente tudo estaria acabado. Os produtores de Indiana tiveram 31% no chão, atrás da média de 94%, disse a agência.

B3

Já na bolsa brasileira as cotações operavam de maneira misturada nesta terça-feira. Os principais contratos registravam movimentações entre 1,06% negativo e 0,02% positivo por volta das 11h58 (horário de Brasília).

O vencimento julho/19 era cotado à R$ 37,90, o setembro/19 valia R$ 38,19 e o novembro/19 era negociado por R$ 39,10.

A Agrifatto Consultoria aponta que os futuros do milho passam por correções na B3, subindo ao redor de 0,20 pontos para os contratos mais curtos pela manhã e tendo leves quedas, uma vez que vale destacar que havia resistência em superar os próximos limites gráficos.

Tags:
Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário