Cotações do milho registram maior patamar dos últimos 5 anos na Bolsa de Chicago

Publicado em 14/06/2019 17:03 e atualizado em 17/06/2019 09:20
3996 exibições

LOGO nalogo

A semana termina com grandes altas para os preços internacionais do milho futuro da Bolsa de Chicago (CBOT). As principais cotações registraram valorizações entre 6,50 e 11,00 pontos nesta sexta-feira (14).

O vencimento julho/19 foi cotado à US$ 4,53, o setembro/19 valeu US$ 4,58 e o dezembro/19 foi negociado por US$ 4,63. No total desta semana, o contrato julho subiu 9,16% com relação ao último pregão da semana passada.

Segundo informações da Agência Reuters, os contratos futuros de milho subiram para o seu maior patamar nos últimos cinco anos na sexta-feira, já que previsões de mais chuvas para região leste na próxima semana prejudicaram as perspectivas de plantios tardios e as perspectivas de produção.

“O milho encerrou sua melhor semana única desde o verão de 2015 e subiu para as altas de cinco anos depois de lançar mais uma rodada de ganhos significativos. Os preços movimentaram hoje cerca de 2,5%, com as preocupações com as plantações tardias”, comentou o Ben Potter, analista da Farm Futures.

E a perspectiva para a próxima semana é de mais tempo úmido em um longo trecho que vai de Oklahoma até a Pensilvânia, esperando mais chuvas até 21 de junho, segundo o mais recente mapa de precipitação acumulada de sete dias da NOAA. Além disso, as máximas diurnas nos Estados Unidos centrais ficarão abaixo do normal durante a próxima semana também.

“O tempo úmido persistente nessas áreas limitará severamente o plantio restante de soja e aumentará o potencial para declínios significativos na área plantada de soja, além das grandes quedas na área de milho que são inevitáveis”, disse a empresa de tecnologia espacial Maxar.

Mercado Interno

No mercado interno, os preços do milho disponível permaneceram sem movimentações em sua maioria. Em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, a única praça que apresentou desvalorização foi Castro/PR (1,37% e preço de R$ 36,00).

Já as valorizações apareceram em Porto Paranaguá/PR, Palma Sola/SC, Assis/SP, Tangará da Serra/MT, Campo Novo do Parecis/MT, Campinas/SP, Rio Sul/SC, Ubiratã/PR, Londrina/PR, Cascavel/PR (3,51% e preço de R$ 29,50), Jataí/GO e Rio Verde/GO (5,36% e preço de R$ 29,50), São Gabriel do Oeste/MS (5,77% e preço de R$ 27,50), Sorriso/MT disponível (6,82% e preço de R$ 23,50) e Sorriso balcão (11,90% e preço de R$ 23,50).

Para a Agrifatto Consultoria, no mercado físico as cotações seguem fortalecidas, apesar do início da colheita da safra de inverno. “Neste sentido, espera-se que os produtores fiquem mais inclinados a entregar os contratos fechados anteriormente, limitando ajustes de preços no spot no curto prazo”, dizem os analistas.

As valorizações dos contratos futuros contagiaram as negociações do físico, com a as indicações maiores, o que ampliou os volumes de negócios.

Confira como ficaram as cotações nesta sexta-feira:

>> MILHO

Tags:
Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Vilson Ambrozi Chapadinha - MA

    Desde os tempos dos Faraós é assim, uns anos (7 anos) de boas safras e outros (7 anos) de safras ruins. O problema é que, de qualquer forma, isso afeta agricultores... Agora será a vez dos colegas americanos.... Se o clima fosse sempre bom nos afogaríamos em nossa produção, então Deus soube fazer as coisas.

    4