Milho: Desvalorizações seguem presentes nas cotações da Bolsa de Chicago

Publicado em 23/08/2019 12:28 e atualizado em 23/08/2019 17:17
257 exibições
Mercado deve ter poucas mudanças até boletim do USDA em três semanas

LOGO nalogo

A Bolsa de Chicago (CBOT) segue apresentando tendência de baixa para os preços internacionais do milho futuro nesta sexta-feira (23). As principias cotações registravam quedas entre 3,50 e 4,00 pontos por volta das 12h11 (horário de Brasília).

O vencimento setembro/19 era cotado à US$ 3,59 com queda de 3,75 pontos, o dezembro/19 valia US$ 3,67 com desvalorização de 4 pontos, o março/20 era negociado por US$ 3,79 com baixa de 3,75 pontos e o maio/20 tinha valor de US$ 3,87 com perda de 3,50 pontos.

Segundo informações da Farm Futures, os preços do milho estão mais baixos, uma vez que o mês de dezembro tenta manter o patamar mais baixo desde que o mercado foi prejudicado pela previsão de produção do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) para o dia 12 de agosto.

“Com a próxima atualização da agência ainda a três semanas de distância, o mercado pode se sair bem apenas para evitar uma queda acentuada do contrato de maio”, aponta o analista de grãos Bryce Knorr.

A publicação ainda aponta que a demanda continua sendo desafiada pela abundante oferta mundial, que está atraindo compradores para o Brasil e outros concorrentes. As vendas de exportação na semana passada incluíram 4,7 milhões de bushels (119.380 toneladas) de safra antiga e 11,9 milhões de novos (302.260 toneladas), continuando a queda nos negócios.

“Há incerteza se as exportações da safra de 2018 atenderão à previsão do USDA. As remessas na semana passada ficaram bem atrás da taxa necessária para atingir essa meta para 2,1 bilhões de bushels (53,34 milhões de toneladas). E os compromissos totais - vendas e embarques - também estão atrasados”, diz Knorr.

B3

Já na bolsa brasileira, as cotações do milho futuro operam próximas da estabilidade e com movimentações no campo misto nesta sexta-feira. Os principais contratos registravam oscilações entre 0,51% negativo e 0,23% positivo por volta das 12h22 (horário de Brasília).

O vencimento setembro/19 era cotado à R$ 36,49 com alta de 0,05%, o novembro/19 valia R$ 37,50 com baixa de 0,11%, o janeiro/20 era negociado por R$ 38,90 com ganho de 0,23% e o março/20 tinha valor de R$ 39,05 com perda de 0,51%.

A Agrifatto Consultoria aponta que as variações em bolsa foram mais intensas nesta semana, mas sem muita força para uma recuperação consistente. O contrato para set/19 acumula tímido avanço de 0,25% na semana e o nov/19 acumula baixa de -0,27% no mesmo período.

“A valorização do dólar sobre o real mantém o milho brasileiro competitivo nos portos, especialmente após a queda das indicações, que passaram a registrar propostas em R$ 38,00/sc para entrega em setembro e outubro. Entretanto, a distância entre os preços oferecidos e os desejados ainda travam as negociações, um cenário generalizado em diferentes estados do país”, dizem os analistas.

Tags:
Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário