Milho: quinta-feira chega ao fim com estabilidade nas cotações da Bolsa de Chicago

Publicado em 05/09/2019 17:32 e atualizado em 06/09/2019 09:11
211 exibições
Mercado aguarda relatório de exportações na sexta-feira

LOGO nalogo

A quinta-feira (05) chega ao final com estabilidade para os preços internacionais do milho futuro na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais cotações registraram movimentações máximas de 0,50 pontos.

O vencimento setembro/19 foi cotado à US$ 3,46 com alta de 0,50 pontos, o dezembro/19 valeu US$ 3,58 com elevação de 0,25 pontos, o março/20 foi negociado por US$ 3,71 com estabilidade e o maio/20 teve valor de US$ 3,80 com valorização de 0,25 pontos.

Esses índices representaram estabilidade com relação ao fechamento da última quarta-feira para todos os contratos.

Segundo informações da Agências Reuters, o milho seguiu o trigo mais alto, diminuindo a pressão das estatísticas semanais de baixa de etanol nos Estados Unidos. A Farm Futures ainda completa dizendo que, os preços do milho lutaram por pequenos ganhos na quinta-feira em algumas compras técnicas.

“Os traders ignoraram os dados semanais de etanol de baixa. A Administração de Informações de Energia dos EUA disse que a produção semanal americana de biocombustível à base de milho caiu para 1,01 milhão de barris por dia, a menor desde abril, enquanto os estoques subiram para 23,8 milhões de barris”, aponta Julie Ingwersen da Reuters Chicago.

Antes do relatório semanal de exportação do USDA, os analistas esperam que a agência mostre vendas de milho totalizando entre 19,7 e 35,4 milhões de bushels (entre 500.380 e 899.160 toneladas) na semana que termina em 29 de agosto.

“As exportações precisarão capturar o limite superior dessa faixa para superar o total da semana anterior”, comenta o analista de grãos Ben Potter.

Mercado Interno

No mercado físico brasileiro, a terça-feira registrou cotações permanecendo sem movimentações, em sua maioria. Em levantamento realizado pelo Notícias Agrícolas, as únicas praças que apresentaram valorização foram Tangará da Serra/MT (1,96% e preço de 26,00), Itiquira/MT (2,75% e preço de R$ 26,20) e Sorriso/MT balcão (6,50% e preço de 21,30).

Já as desvalorizações apareceram apenas em Campinas/SP (1,29% e preço de R$ 37,43), Pato Branco/PR (1,71% e preço de R$ 28,70), São Gabriel do Oeste/MS (1,85% e preço de R$ 26,50) e Sorriso/MT disponível (4,44% e preço de R$ 21,50).

A XP Investimentos indicou que o mercado físico de milho permanece vazio, com preços guiados por ofertas de compra e venda e agentes atentos aos preços de Chicago e do dólar.

“Lá fora, as referências registram baixas consecutivas, com players percebendo uma melhora no clima no curto prazo. O USDA, inclusive, divulgou melhora de 1% nas condições de lavoura, para 58% em condições ótimas ou boas. No mercado interno, porém, as valorizações recentes do câmbio e os bons volumes embarcados de milho exportados até o momento deixaram a ponta vendedora (produtores/silos/armazéns) retraída, acreditando em valorizações”, dizem os analistas.

Confira como ficaram as cotações nesta quinta-feira:

>> MILHO

Tags:
Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário