Milho registra poucas movimentações em Chicago enquanto mercado aguarda novos números do USDA

Publicado em 09/10/2019 17:05 e atualizado em 10/10/2019 09:19
366 exibições
Cotações flutuaram apenas 0,25% para baixo nesta quarta-feira

LOGO nalogo

Após operarem o dia todo com estabilidade, os preços internacionais do milho futuro encerram a quarta-feira (09) apresentando leves baixas na Bolsa de Chicago (CBOT). As principias cotações registraram movimentações negativas entre 0,50 e 1,50 pontos.

O vencimento dezembro/19 foi cotado à US$ 3,94 com desvalorização de 1,50 pontos, o março/20 valeu US$ 4,05 com queda de 1 ponto, o maio/20 foi negociado por US$ 4,10 com perda de 0,50 pontos e o julho/20 teve valor de US$ 4,14 com estabilidade.

Esses índices representaram perdas, com relação ao fechamento da última terça-feira, de 0,25% para dezembro/19, de 0,25% para o março/20 e de 0,24% para o maio/20, além de estabilidade para o julho/20.

Segundo informações da Agência Reuters, os contratos futuros de milho mudaram pouco, consolidando-se após atingir máximos de dois meses e antes do relatório de safra do governo americano, que deve ser divulgado na quinta-feira.

“Os contratos futuros de milho da CBOT saltaram 2% na terça-feira, devido a preocupações com possíveis danos às culturas e atrasos causados ​​pela tempestade, antes de se consolidarem na quarta-feira”, aponta Julie Ingwersen da Reuters Chicago.

“Vamos ver alguns atrasos na colheita e temos o relatório do USDA amanhã com as expectativas de uma tendência de alta”, diz Brian Hoops, analista da Midwest Market Solutions.

Antes dos relatórios mensais de oferta e demanda do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), os analistas consultados pela Reuters esperavam em média que o governo diminuísse suas estimativas de rendimento, produção e estoque final dos EUA para o milho.

“O USDA emitirá uma estimativa de produção, mas provavelmente não tem ideia real do que será a produção final, já que a colheita está apenas começando na maior parte do país. Até agora, os rendimentos têm sido bons em partes de Iowa e em alguns lugares a leste do rio Mississippi, mas abaixo das médias históricas em muitas áreas a leste do rio”, comenta o analista de mercado do Blog Price Group, Jack Scoville.

Também nesta quinta-feira, o USDA deve reportar as vendas semanais de exportação. Os traders esperavam que o governo mostrasse vendas de exportação na semana de 3 de outubro a 500.000 a 800.000 toneladas de milho.

Mercado Interno

No mercado físico brasileiro, a terça-feira registrou cotações permanecendo sem movimentações, em sua maioria. Em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, não foram registradas desvalorizações.

Já as valorizações foram percebidas nas praças de Dourados/MS (1,56% e preço de R$ 32,50), Pato Branco/PR (1,58% e preço de R$ 32,20), Ubiratã/PR e Londrina/PR (1,64% e preço de R$ 31,00), Porto Paranaguá/PR (2,60% e preço de R$ 39,50), Palma Sola/SC (2,94% e preço de R$ 35,00) e Brasília/DF (10,34% e preço de R$32,00).

Confira como ficaram as cotações nesta quarta-feira:

>> MILHO

Tags:
Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário