Importação de milho tem que ser muito bem dosada, diz presidente institucional da Abramilho

Publicado em 19/10/2020 13:21
De acordo com Cesario Ramalho da Silva, medida é um elemento novo no mercado, que causa certa apreensão ao produtor, que está em pleno trabalho de plantio da nova safra

A Câmara de Comércio Exterior (Camex) anunciou neste sábado (17), que zerou a alíquota do imposto de importação para soja e milho. No caso do milho, o produto foi incluído na Lista Brasileira de Exceções à Tarifa Externa Comum (Letec), com redução de 8% para 0%, válida até 31 de março de 2021.

De acordo com o órgão, a medida tem como motivação conter a alta de preços no setor de alimentos. Na avaliação do presidente institucional da Abramilho, Cesario Ramalho da Silva, a importação de milho tem que ser muito bem dosada, equilibrada, a fim de que não desestimule o plantio da safra 2020/21, que começa a ganhar ritmo. “Não podemos negar, que a medida é um elemento novo no mercado, que causa certa apreensão a nós produtores”, disse em entrevista ao canal de notícias “Agro+” ainda neste sábado.

Ramalho pontua a demanda pelo milho vem crescendo de forma significativa tanto pelos embarques em grão quanto pelo seu uso como principal insumo para as indústrias de carnes. “Isso prova a competência do produtor brasileiro que ano a ano incorpora novas tecnologias, obtendo ganhos de produtividade, bem como grãos cada vez mais de melhor qualidade.”

Ademais, o presidente institucional da Abramilho diz ter certeza que a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, saberá conduzir de forma hábil, como é de praxe, a questão da redução das tarifas de importação junto aos demais órgãos do governo.

Tags:
Fonte:
Abramilho

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário