HOME VÍDEOS NOTÍCIAS DADOS DA SAFRA METEOROLOGIA FOTOS

Plantio do milho vai a 1% no Mato Grosso enquanto custo de produção sobe no estado, aponta Imea

Publicado em 26/01/2021 09:50 e atualizado em 26/01/2021 11:03 150 exibições
Semeadura está mais de 8 pontos percentuais atrás da safra passada e da média dos últimos 5 anos

LOGO nalogo

O Imea (Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária) divulgou relatório apontando atualização na estimativa dos custos de produção para a lavoura de milho no estado do Mato Grosso, percebendo elevação nos custos de dezembro/20 com relação aos de novembro/20.

A produção de milho de alta tecnologia da safra 2020/21 no Mato Grosso fechou o último mês do ano em R$ 2.636,69/há e R$ 3;422,44 por hectare no COE e no CT, respectivamente, aumentos de 0,03% e 0,22% com relação aos valores registrados em novembro/20.

Já no comparativo entre as safras 2020/21 e 2019/20, os custeios tiveram um expressivo aumento. O ponto de equilíbrio para o ciclo 20/21 está em R$ 21,22/sc enquanto o da safra 19/20 era de R$ 20,47/sc.  De acordo com os técnicos do Imea, isso foi “justificado pela elevação de 30,62% na cotação da moeda norte-americana. Para se ter idéia, os custos com defensivos tiveram uma alta de 23,39%, com destaques principalmente nos fungicidas (+26,04%), inseticidas (+ 23,48%) e herbicidas (+22,06%)”.

plantio_lavoura_de_milho_estados_unidos

Semeadura da safrinha está atrasada após dificuldades com a soja 

A publicação aponta ainda que os trabalhos de plantio da segunda safra começaram no estado de maneira atrasada, refletindo a posterga das atividades com a safra verão de soja. De modo geral, o Instituo relata que, foram registrados, 1,01% das áreas semeadas no estado até o momento, número que fica 8,81 p.p. atrás da safra 19/20 e 8,58 p.p. da média dos últimos 5 anos.

“Esse atraso inicial pode deixar o produtor preocupado quanto a produtividade, já que o grão pode perde sua janela considerada ideal e pode vir a chegar no período de enchimento de grão com pouca disponibilidade de água no solo. Entretanto ainda é muito cedo para fazer afirmações quanto a isso, tendo em vista que a semeadura pode avançar a passos largos se adequando à janela”, dizem os analistas do Imea.

Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário