Publicidade

Milho: B3 segue subindo em movimentos de correção nesta 5ªfeira

Publicado em 24/06/2021 11:53 e atualizado em 24/06/2021 16:53 641 exibições
Chicago derrete diante de novas chuvas nos EUA

LOGO nalogo

A Bolsa Brasileira (B3) luta para manter as altas para os preços futuros do milho nesta quinta-feira (24). As principais cotações registravam movimentações positivas entre 0,02% e 0,39% por volta das 11h49 (horário de Brasília).

O vencimento julho/21 era cotado à R$ 81,23 com alta de 0,02%, o setembro/21 valia R$ 81,50 com elevação de 0,28%, o novembro/21 era negociado por R$ 82,56 com ganho de 0,29% e o janeiro/22 tinha valor de R$ 85,33 com valorização de 0,39%.

De acordo com o reporte diário da Radar Investimentos, “os futuros do milho na B3 e na CBOT estiveram menos voláteis em meados desta semana”, no que a análise da Agrifatto Consultoria classifica como “movimento de correção”.

Mercado Externo

Os preços internacionais do milho futuro seguem derretendo na Bolsa de Chicago (CBOT) nesta quinta-feira. As principais cotações registravam movimentações negativas entre 8,50 e 14,50 pontos por volta das 11h41 (horário de Brasília).

Publicidade

O vencimento julho/21 era cotado à US$ 6,55 com queda de 8,50 pontos, o setembro/21 valia US$ 5,36 com desvalorização de 14,50 pontos, o dezembro/21 era negociado por US$ 5,22 com baixa de 13,25 pontos e o março/22 tinha valor de US$ 5,29 com perda de 13,00 pontos.

Segundo informações do site internacional Farm Futures, os preços do milho reduziram seus ganhos dos quatro pregões anteriores desta manhã, já que a previsão do fim de semana chuvoso melhorou as perspectivas de rendimento para a nova safra. 

“Mas as perdas foram limitadas pelo aumento da demanda de exportação chinesa, que será observada de perto no relatório semanal de vendas de exportação do USDA”, aponta a analista Jacqueline Holland.

A publicação destaca que os ritmos de carregamento de exportação de milho devem cair um pouco em relação aos volumes da semana passada, mas ainda assim permanecem sazonalmente fortes.

Por:
Guilherme Dorigatti Borges
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário