Milho: Chicago atinge máximas dos contratos com aperto na oferta global

Publicado em 14/04/2022 16:27
B3 registra leves altas enquanto consumidores esperam a safrinha

Logotipo Notícias Agrícolas

A quinta-feira (14) chega ao final com os preços futuros do milho acumulando novas movimentações positivas na Bolsa Brasileira (B3).

O vencimento maio/22 foi cotado à R$ 88,60 com valorização de 0,74%, o julho/22 valeu R$ 88,95 com ganho de 0,67%, o setembro/22 foi negociado por R$ 89,60 com alta de 0,29% e o novembro/22 teve valor de R$ 91,08 com elevação de 0,09%.

Para o analista de mercado da Brandalizze Consulting, Vlamir Brandalizze, o mercado brasileiro vê a safrinha andando bem em diversas regiões do país e os compradores ficam tranquilos.

“O comprador do setor de ração olha que vem uma safra de 80 ou 90 milhões de toneladas, e desse volume total tem menos de 30 negociadas, ele sabe que tem muito milho pra chegar e não estão pressionando para comprar”, pontua Brandalizze. 

A SAFRAS & Mercado relata que o mercado brasileiro de milho manteve preços em queda nesta semana mais curta com o feriado da Sexta-Feira Santa. “Seguem as vendas por parte dos produtores, e a oferta pesa sobre as cotações de modo geral no Brasil. Essa decisão de venda do produtor é o fator de pressão há semanas”.

Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Paulo Molinari, o produtor segue tentando vender o milho para segurar a soja. “E não encontra liquidez fácil na ponta de compra”, comenta. O ritmo de negócios foi lento na semana.

Já no mercado físico brasileiro, o preço da saca de milho registrou movimentos negativos nesta quinta-feira. O levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas não encontrou valorizações em nenhuma das praças, mas se deparou com desvalorizações em Dourados/MS, Amambai/MS e Oeste da Bahia.

Confira como ficaram todas as cotações nesta quinta-feira

De acordo com a análise diária da Agrifatto Consultoria, “com a baixa demanda e a necessidade de venda do agricultor, a saca mantém o movimento de queda no físico, caindo para R$ 87,50 em Campinas/SP”.

Mercado Externo

A Bolsa de Chicago (CBOT) permaneceu com a maior parte dos preços internacionais de milho futuro no campo positivo da tabela nesta quinta-feira.

O vencimento maio/22 foi cotado à US$ 7,90 com elevação de 6,75 pontos, o julho/22 valeu US$ 7,83 com valorização de 5,75 pontos, o setembro/22 foi negociado por US$ 7,48 com alta de 1,75 pontos e o novembro/22 teve valor de US$ 7,35 com queda de 0,50 pontos.

Esses índices representaram ganhos, com relação ao fechamento da última quarta-feira (14), de 0,89% para o maio/22, de 0,64% para o julho/22 e de 0,13% para o setembro/22, além de estabilidade para o dezembro/22.

Segundo informações da Agência Reuters, os contratos futuros de milho dos Estados Unidos atingiram máximas durante toda a vida útil do contrato nesta quinta-feira, apoiados pelo aperto na oferta global e uma perspectiva de produção incerta, já que a guerra Rússia-Ucrânia continuou a abalar os mercados de grãos.

No entanto, o comércio foi instável e os contratos de milho diferidos caíram às vezes, já que os comerciantes obtiveram lucros antes de um fim de semana de feriado de três dias. Os mercados dos Estados Unidos também estarão fechados na Sexta-feira Santa.

A publicação destaca que, a incerteza sobre o clima de plantio nos EUA apareceu antes do fim de semana prolongado. O trabalho de campo está começando devagar no Centro-Oeste nesta primavera por causa das condições frias e úmidas, embora ainda seja cedo. O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) disse que a safra de milho foi semeada em 2% em 10 de abril, abaixo da média de cinco anos de 3%.

“Parece que haverá uma janela de plantio no final da semana que vem em alguns do cinturão de milho oriental, então talvez tenhamos alguns plantadores em andamento”, disse Dan Cekander, presidente da DC Analysis.

Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário