Japão compra 800 mil toneladas de milho da Ucrânia

Publicado em 16/11/2011 09:37 336 exibições
Maior importador mundial de milho busca alternativas mais baratas do que o cereal norte-americano e se volta ao mercado europeu.
O Japão, principal importador mundial de milho, realizou sua maior compra do grão em pelo menos uma década. O vendedor das 800 mil toneladas foi a Ucrânia, tida com uma alternativa mais barata do que os EUA para que os japoneses possam recompor seus estoques.

A compra, realizada por cinco companhias japonesas, aconteceu depois da Ucrânia ter reduzido em aproximadamente 12% suas taxas no último mês. Os carregamentos são para entrega entre novembro e março e o preço pago pelo milho foi, aproximadamente, US$ 20 por toneladas mais barato do que a commodity norte-americana.

O Japão, que importava 90% de seu milho dos EUA, está buscando novas opções de fornecedores, depois que a severa seca que atingiu as lavouras norte-americanas levou os preços do milho a patamares historicamente altos.

"O Japão se uniu a demais compradores asiáticos e passou a encontrar alternativas mais baratas do que o milho dos Estados Unidos, que se tornou muito caro. Uma mudança no foco da demana levará os preços em Chicago a US$ 6 por bushel", projetou o analista de mercado Takaki Shigemoto, do instituto de pesquisa JSC Corp, de Tóquio.

A indústria japonesa produtora de carnes está buscando matéria-prima mais barata, visando diminuir seus custos de produção. Essa procura é por conta da recuperação pela qual o país ainda passa depois do terremoto e do desastre nuclear da usina de Fukushima.

Em um período de nove meses, que terminou no dia 30 de setembro, o Japão importou 7,3 milhões de toneladas de milho, segundo o Ministério de Finanças. Do total, foram 6,8 milhões de toneladas dos Estados Unidos e 231,6 mil toneladas da Argentina.

Ucrânia - Os embarques de milho por parte da Ucrânia aumentaram e, em outubro, alcançaram um volume recorde. Esse incremento, de acordo com especialistas da UkrAgroConsult, é reflexo da redução dos impostos sobre o produto.

O governo ucraniano estima agora que as exportações deveram totalizar 12 milhões de toneladas no ano comercial que teve início no último dia 1º de julho.

A colheita deverá ser de, aproximadamente, 20 milhões de toneladas. A produção da Ucrânia aumentou em função das boas condições climáticas no país que favoreceram também o incremento da produtividade para 6 toneladas por hectare.

Com informações da Bloomberg.

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário