Petrobras eleva diesel em 8% para distribuidores; gasolina tem alta de 4,85%

Publicado em 11/01/2022 16:43 186 exibições

Logotipo Reuters

Por Roberto Samora

SÃO PAULO (Reuters) - A Petrobras informou que aumentará os preços do diesel nas refinarias em 8% a partir de quarta-feira, enquanto a gasolina vendida às distribuidoras terá aumento médio de 4,85%, de acordo com nota publicada pela companhia nesta terça-feira.

O diesel passará de 3,34 para 3,61 reais por litro, enquanto a gasolina subirá de 3,09 para 3,24 reais por litro. Os preços atuais estão nos maiores patamares nominais desde pelo menos meados de 2019, segundo números da Petrobras compilados pela Reuters, com contribuição das cotações do petróleo e do câmbio.

"Após 77 dias sem aumentos, a partir de amanhã a Petrobras fará ajustes nos seus preços de venda de gasolina e diesel para as distribuidoras", disse a companhia em nota.

A alta nos combustíveis, importante fator para a inflação ter ficado acima da meta do governo brasileiro em 2021, ocorre em momento em que os preços do petróleo Brent são cotados em torno de 82 dólares o barril, com alta de mais de 5% em janeiro.[nL1N2TR11G]

"Esses ajustes são importantes para garantir que o mercado siga sendo suprido em bases econômicas e sem riscos de desabastecimento pelos diferentes atores responsáveis pelo atendimento às diversas regiões brasileiras: distribuidores, importadores e outros produtores, além da Petrobras", disse a companhia.

A Petrobras não consegue atender todo o mercado de combustíveis do Brasil, e importadores têm importante participação, o que exige que valores estejam na paridade de importação.

Com o ajuste, as defasagens de preços locais em relação à paridade de importação diminuirão, disse o presidente da Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom), Sérgio Araújo.

"As defasagens serão diminuídas, mas continuarão... Os preços das commodities estão subindo", disse ele, lembrando que a diferença antes do reajuste era de -6% para a gasolina e de -10% para o diesel.

Já a Petrobras reiterou em nota seu compromisso com a prática de preços competitivos e em equilíbrio com o mercado, "acompanhando as variações para cima e para baixo, ao mesmo tempo em que evita o repasse imediato para os preços internos, das volatilidades externas e da taxa de câmbio causadas por eventos conjunturais".

As ações preferenciais da Petrobras aceleraram alta após o anúncio do reajuste. Por volta das 13h15, subiam 1,5%, enquanto o Ibovespa avançava 1%.

Segundo a Petrobras, considerando a mistura obrigatória de 27% de etanol anidro para a composição da gasolina comercializada nos postos, a parcela da empresa no preço ao consumidor passará de 2,26 reais, em média, para 2,37 reais a cada litro.

No caso do diesel, considerando a mistura obrigatória de 10% de biodiesel, a parcela da Petrobras no preço ao consumidor passará de 3,01 reais, em média, para 3,25 reais a cada litro na bomba.

O valor nos postos também depende de tributos e das margens de distribuidores e revendedores.

 

(Com reportagem adicional de Marta Nogueira no Rio de Janeiro e Gabriel Araujo)

Fonte:
Reuters

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário