Financeiro: Zona do Euro contribuirá com 150 bilhões de euros ao FMI

Publicado em 20/12/2011 10:55 176 exibições
Em uma teleconferência que aconteceu nesta segunda-feira (19), os ministros europeus das Finanças acordaram em contribuir com 150 bilhões de euros em empréstimos bilaterais adicionais para o FMI (Fundo Monetário Internacional). Porém, esse valor ficou abaixo dos 200 bilhões esperados inicialmentes.

Agora, a Europa enfrenta mais essa dúvida: será que o valor será suficiente para trazer mais segurança à macroeconomia? Esse, definitivamente, não era o reforço que o mercado financeiro esperava, uma vez que se contava com uma intervenção mais sólida do Banco Central Europeu.

Essa notícia poderia trazer alguma pressão negativa para o mercado, principalmente nas bolsas de valores europeias. No entanto, em uma sessão de poucos negócios, os índices acionários operavam em alta nesta terça-feira, sustentados pelo índice bom sobre o sentimento das empresas da Alemanha.

Já na Ásia, as mais importantes bolsas de valores encerraram o dia sem uma direção definida. Entretanto, a maioria delas fechou em alta. O movimento de altas foi impulsionado pelos "caçadores de barganhas", que, a procura de pechinchas, voltam ao mercado e contribuem para o avanço.

A atenção, apesar desse bom momento de hoje, continua. Os participantes do mercado ainda enfrentam o sentimento de que esses esforços não estariam sendo suficientes para amenizar os efeitos da crise do débito europeu. Abaixo, você confere as mais importantes notícias sobre o mercado financeiro nesta terça-feira nos principais veículos de comunicação:

>> No Valor: Bolsas da Ásia terminam sem rumo comum; Tóquio avança e Xangai recua

Os mercados acionários da Ásia fecharam sem uma tendência comum. Ainda permanece sob avaliação o impacto da morte do ditador da Coreia do Norte, Kim Jong Il, no ambiente regional ao mesmo tempo que persistem as preocupações com a crise da dívida europeia.

>> No Terra: Maioria das bolsas asiáticas sobe por caça a barganhas

A maioria das bolsas de valores asiáticas fechou em alta nesta terça-feira, mas a confiança do mercado permaneceu frágil por temores de que os esforços para conter a crise de dívida da zona do euro estejam falhando e de que regras mais duras para fortalecer o capital dos bancos possam reduzir seus lucros. O humor nos mercados da Ásia já era avesso a riscos após a morte do líder norte-coreano Kim Jong-il, que gerou receios de instabilidade na região e desencadeou a venda de ativos de maior risco na segunda-feira, com os investidores transferindo dinheiro para a segurança do dólar.

>> No Estadão: Bolsas na Europa sobem com índice de sentimento alemão positivo

As bolsas europeias operam em alta, com ajuda do índice bom sobre o sentimento das empresas da Alemanha, embora ainda pese sobre os mercados a decisão dos ministros de Finanças europeus de ampliar os recursos do Fundo Monetário Internacional (FMI) em um valor abaixo das expectativas. Londres apresenta queda, com destaque para as ações da AstraZeneca.

>> Na Veja: Eurozona acorda contribuição de 150 bi de euros ao FMI

Os países da zona do euro acordaram nesta segunda-feira um reforço 150 bilhões de euros ao Fundo Monetário Internacional (FMI) para ajudar as economias mais frágeis da união monetária, disse um diplomata nesta segunda-feira. "Arrecadamos 150 bilhões de euros. Estamos à espera de outros 50 bilhões, que podem ser concedidos por outros países", disse ele ao final de uma teleconferência de ministros da Eurozona. "Obteremos 200 bilhões de euros, isso está claro", completou.

Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário