Governo brasileiro "vende" 3 milhões de hectares da Amazônia por US$ 60 milhões aos ambientalistas

Publicado em 03/01/2018 10:53 e atualizado em 04/01/2018 13:33
22084 exibições
por Blog Ambiente Inteiro

60 Reais por um hectare da Amazônia foi o preço acertado pelo Ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, com o Banco Mundial e duas ONGs por 3 milhões de hectares na Amazônia. O acerto foi feito e assinado no dia 19 de dezembro. O Banco Mundial, a ONG brasileira FunBio e a ONG internacional Conservation Internacional (CI) "investirão" no Brasil US$ 60 milhões do Global Environment Facility (GEF) em troca da criação de 3 milhões de hectares de novas Unidades de Conservação na Amazônia nos próximos cinco anos.

O projeto é conhecido como "Triplo A", um grande plano internacional para criar um corredor de áreas protegidas (e soberania relativa) na calha norte do Rio Amazonas lingando o Pacífico ao Atlântico. O corredor Triplo A sofreu grande oposição das Forças Armadas brasileiras e foi rebatizado de "Projeto Paisagens Sustentáveis da Amazônia". 

Triplo-A-mapa-To-no-Cosmos.png
"Corredor Triplo A" prevê a interligação de áreas protegidas e terras indígenas de desfazendo as fronteiras internacionais

Sarney Filho, o Banco Mundial e as ONGs querem usar os dólares do GEF para melhorar a governança das unidades de conservação na Amazônia brasileira. Segundo o ministério do ½ Ambiente, que coordenará e definirá as ações do projeto, a parceira apoiará o Programa de Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa) e que já transformou mais de 60 milhões de hectares em unidades de conservação na região.

Para quem não sabe, o ARPA é um program antigo de ambientalistas implementado por uma parceria entre o governo brasileiro, o Global Environment Facility (GEF), o Banco Mundial, o KFW (banco de cooperação do governo da Alemanha), a GTZ (agência de cooperação da Alemanha), a ONG internacional WWF, o Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio), e algumas outras ONGs. Desde a criação do programa em 2002 essa turma já despejou US$ 400 milhões na criação, consolidação e manutenção de áreas protegidas na Amazônia. 

“Considero o ato de hoje de grande importância. Esses recursos vão ao encontro dessa ideia”, disse o ministro do ½ Ambiente, Sarney Filho, durante a solenidade de assinatura do novo acordo.

O projeto prevê ainda a cooperação internacional entre Brasil, Colômbia e Peru na área de criação de área protegidas. A cooperação entre os ambientalistas dos três países é fundamental para a criação do "corredor Triplo A".

“Tenho o prazer de ver como esse projeto foi desenvolvido, no sentido de iniciar a segunda geração de projetos de área protegidas”, disse Martin Raiser, diretor do Banco Mundial para o Brasil. "É o primeiro projeto na região amazônica que tem ligações muito próximas com a Colômbia, o Peru, países que querem se beneficiar das experiências do Brasil e aprender para repetir”, acrescentou Raiser.

A parte operacional do projeto ficará sob responsabilidade do Banco Mundial, Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio) e Conservation Internacional (CI).

24303638717_b5c9c5e26c_k.jpg
Diretor do Banco Mundial, Martin Raiser, e o Ministro do ½ Ambiente, Sarney Filho, assinam acordo que prevê repasse de UU$ 60 milhões em troca da criação de 3 milhões de hectares de novas Unidades de Conservação na Amazônia interligando três paises. Foto: Gilberto Soares/MMA

Com informações e imagens do MMA e Agência Brasil.

Brazil inks deal for more conservation units in Amazon (por Agencia Brasil)

sf%2B03.jpg


Brazil's Ministry of Half Environment signed a partnership agreement with the World Bank, the Brazilian Fund for Biodiversity (FunBio), and Conservation International (CI) aimed at making over 3 million hectares in the Amazon Forest into conservation units in five years. Altogether, $60 million will be brought in from the Global Environment Fund (GEF).

Dubbed Amazon Sustainable Landscapes Project, the agreement, signed Tuesday (Dec. 19), also includes improvements in the administration of conservation units, the expansion of the area under restoration, and the sustainable management of the Brazilian Amazon.

According to the ministry, which is to spearhead the efforts under the deal, the initiative will also provide support for the Protected Areas of the Amazon Program (ARPA), a project that was created 15 years ago and has turned over 60 million hectares into conservation units in the region.


“I've been saying that we cannot forever stay in control and command as a way to keep the Amazon Forest providing its environmental services. We must give the environment its due value. These funds come as the means to make this idea materialize. We have to act, do everything we can, to give sustainability its due strength,” said Environment Minister Sarney Filho at the signing ceremony.

Cooperation

The project also stipulates join efforts by Brazil, Colombia, and Peru in the protection of the areas. Brazil is also expected to convey its expertise to the neighbor countries.

“It's the first project in the Amazon region with really close ties with Colombia, Peru—countries interested in benefiting from Brazil's experience so they can repeat them,” said Martin Raiser, director at the World Bank for Brazil.

Just in time: No coments.

Esta matéria, em inglês, é da Agência Brasil. Veja a cobertura do blog do Código Florestal para este evento: Governo brasileiro "vende" 3 milhões de hectares da Amazônia por US$ 60 milhões

As imagens são de José Cruz/Agência Brasil

 Ibama atua para isolar capital do Amazonas do resto do Brasil

Caminhao-de-combustiveis-cai-em-ponte-na


O superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (Dnit), Fábio Galvão afirmou que o “trecho do meio, de aproximadamente 400 quilômetros é o único no país que necessita de licenciamento ambiental para receber serviços de manutenção”. A afirmação foi feita na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), durante Audiência Pública, na terça-feira (5), que debateu a situação real da BR-319.

Dados do Dnit demonstram o drama que o órgão tem enfrentado para dar continuidade às obras manutenção da BR-319. De 2005 a 2013, quando o Ministério dos Transportes decidiu retomar os serviços, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) tem exigido cada vez mais uma série de estudos de viabilidade ambiental para conceder a licença que possibilite o prosseguimento dos trabalhos.

Todos os relatórios apresentados pelo Denit feitos em parceria com as Universidades Federais do Amazonas (Ufam) e do Rio de Janeiro (UFRJ) e com empresas especializadas foram recusados pelo Ibama.

Já em 2014, após a apresentação do último exigido pelo Ibama, o instituto exigiu mais um estudo. Dessa fez do componente indígena ao longo da rodovia.

“O estudo está em andamento com a coleta de fauna no período de chuvas, a partir de janeiro de 2018. Com esses elementos haverá a conclusão do relatório até o final do ano que vem, onde novamente será apresentado ao Ibama”, informou o superintendente do departamento de transporte, Fábio Galvão.

O Ibama não compareceu a audiência pública.

A BR-319 é a única via de ligação da capital do estado do Amazonas com o restante do Brasil por via terrestre.

A rodovia corta 10 municípios amazonenses: Careiro da Várzea, Altazes, Manaquiri, Careiro Castanho, Borba, Beruri, Manicoré, Tapauá, Humaitá, Canutama até chegar a Porto Velho capital de Rondônia. “O sul do Amazonas precisa se desenvolver à altura do Estado”, ponderou Fábio Galvão, do Dnit.

O coordenador de Transporte e Logística da Federação das Indústrias do Amazonas (Fieam), empresário Augusto Rocha, apresentou, durante o evento, os altos custos para transportar cargas do Pólo Industrial de Manaus (PIM) para outros Estados. Por exemplo, o frete de Manaus a Santos, em São Paulo, é 67% mais caro do que de Xangai, na China, até o mesmo porto paulista.

“Com a infraestrutura da 319 haveria uma redução do tempo de viagem entre Amazonas e São Paulo, de 10 a 12 dias para sete dias”, argumentou o coordenador ao informar que a indústria do Estado, nessa crise, encolheu 10 anos. “Saímos de U$S 41 bilhões de faturamento para U$S 26 bilhões (dado de 2006) e a tendência não é positiva”, diz Rocha.

“Essa rodovia já deveria ter sido recuperada, está atrasada”, pontuou o representante da Fieam.

Fonte: Blog Ambiente Inteiro

15 comentários

  • armelindo corte dos reis Enagenheir Bel trão - PR

    Caros leitores não seja inocentes! Essa região é rica em minérios, e é cobiçada pelo mundo todo e por isso "compraram"... Observem as curvas do mapa -- que é só a parte que interessa aos inteligentes!

    0
  • Deocleciano Pentello Goiânia - GO

    Acho muito bom a criação das novas unidades de conservação formando o tal corredor, a área nao foi "vendida", continua como patrimônio na União, a matéria confunde...

    45
  • Jose Jorge Lopes Lopes Coronel Fabriciano - MG

    Até quando terras da Região Norte serão vendidas por ninharia???, para proteger as que já existem não precisa vender mais..., ainda mais com o agravante de desfazer de soberania nacional na área.... O exercito brasileiro, como guardião do território nacional, precisa urgentemente rever esses negócios escusos contra o interesse nacional, rever o projeto Rondom e cuidar melhor do patrimônio da União. O Brasil ainda está sendo civilizado à custa de grande sacrifícios. O atraso, a pobreza e o subdesenvolvimento interessa aos estrangeiros. ACORDE POVO BRASILEIRO. Estão desfazendo de grandes reservas minerais que, no futuro, serão necessárias aos desenvolvimento do Pais.

    0
    • GILBERTO ROSSETTOLUCAS DO RIO VERDE - MT

      Vamos escrever para nossos Senadores e Deputados Federais que exijam do Presidente Temer a revogação dessa medida esdruxula do Ministro Sarney Filho. Aproveitem e peçam que Temer demita esse ministro mal intencionado.

      0
    • JOSE ARMANDO MACHADOMARCELANDIA - MT

      Engracado, para nossos politicos o que interessa é o dinheiro na mao. Estao poucos interessados em quem esta trabalhando, produzindo. O povão que se f.... . O resto é Boa vida. Nos OTARIOS os elegemos barato. Pouco se importa. Pra ter uma noção. O povo está morrendo nas filas de hospitais. Tão pouco se lixando em preocupar-se com a situação. Ao 40 cantos do "brasil" a história e a mesma. O povo aceita tudo. Quietinho.

      0
  • Marcos Barros -

    beleza, venderam o problema... agora é saber o que eles venderam? só o tempo dirá !

    1
    • HEBER MARIMKATUETE - PY - PI

      Pois é... Como pode ter comprador até pra casa pegando fogo... (Ironia)

      0
  • armelindo corte dos reis Enagenheir Bel trão - PR

    O Brasil detêm cerca de quase 90% de todo nióbio do planeta terra! E sai daqui a preço de batata e quando chega no mercado internacional é vendido a preço de ouro! Isso é contrabando!!!

    1
  • giordano constance florianópolis - SC

    No Google Earth é possível ver as imagens do satélite até dos anos 60, 70 na Amazônia. Não vou criticar quem derruba nem quem replanta mata nativa, mas sugiro aos que querem ver com seus próprios olhos e nunca poderão ir pessoalmente ver isso, que vejam pelo google earth. Baixem num computador o software e instale. Para ativar essa opção de ver as imagens do passado, procurem nele , uma guia chamada "Visualizar"... clique e na lista assinale "imagens históricas" .... vá nas cidades, por exemplo, Novo Progresso no Pará. Observem no alto a esquerda no google earth uma barra de rolagem para a esquerda ou direita... Quanto mais a esquerda, as imagens são mais antigas. arraste e veja no mapa o resultado e tire suas conclusões

    27
    • LUIZ HENRIQUE WEBERSANTA RITA DO TRIVELATO - MT

      Pois é Giordano, observe também a sua cidade, Florianópolis..., compare em 1960 e na atualidade, veja o exponencial aumento da cidade\população..., será que o leite, a carne, o arroz e os decks das piscinas de jurere vieram de onde? brotaram na ponte pra lá? alguém os produziu e pode ter certeza que tbm Novo Progresso ou Ariquemes ou Coxim ou Rio Verde contribuíram com um pouco no "enchimento das prateleiras" dos confortáveis supermercados manezinhos!

      0
  • Luciano Guedes Redenção - PA

    Este Ministro do Meio Ambiente nos trata como imbecis... Incrível ...

    0
  • Aparecido Cavalcante Manaus - AM

    Esses valores são muito inferiores aos do mercado... Isso simplesmente é uma maneira de engessar quaisquer exploração mineral; Lembrando que a maior jazida de minérios estratégicos tipo Niobio, Tantalita, Cobre, etc. está dentro desta área.

    0
    • ARMELINDO CORTE DOS REISENAGENHEIR BEL TRÃO - PR

      Esses valores não pagam nada em relação ao sub-solo deste lindo local! O que eles querem é o sub-solo, compram por ninharias e políticos vagabundos vendem a nação na calada da noite! É uma maneira que esses países encontram para fazer roubo oficializado!

      0
  • José Roberto de Menezes Londrina - PR

    Brasil Maranhão

    0
  • Adriano G. Menegazzo Nova Petrópolis - RS

    Os velhos coronéis do Nordeste, em conluio com burocratas ambientalistas, entregando áreas estratégicas a interesses monopolistas internacionais, minando a soberania nacional. O velho truque de salvar o meio-ambiente, cujo verdadeiro interesse está no subsolo...

    0
    • CARLO MELONISAO PAULO - SP

      Normalmente esse truque e' feito colocando indios, porque o COMODATO (no caso do indio) e' mais facil de desfazer do que uma venda.... A nao ser que atras da fachada ambientalista exista uma empresa mineradora... MAS SEMPRE SE TRATA DE ROUBO DA COISA PUBLICA...

      1
  • elcio sakai vianópolis - GO

    Engraçado este CORREDOR TRIPLO A..., pega justamente duas fronteiras agrícolas: Estados de Roraima e Amapá..., esse Sarney Filho é tão forte que, com uma canetada, destrói de forma consistente as receitas futuras desses dois estados. Assim, fica proibido aos estados do norte buscarem crescimento, uma melhor qualidade de vida..., isso, infelizmente, na opinião de alguns.

    0
  • Sebastião Ferreira Santos Fátima do Sul - MS

    Esses comunistas como esse Sarney Filho, tão porcaria quanto o pai, comunista declarado e que vive pregando mentiras, dizendo que estão entregando o país aos estrangeiros. Aí está provado que quem está entregando o país à estrangeiros são eles mesmos. Esse corrupto faz parte de uma corja de bandidos aliados como: Lula,Dilma, Marina (pseudo defensora do meio ambiente) e mais um corrente de desonestam que mamam nas tetas gordas do governo enquanto a população vive aos trancos e barrancos sem direito a ter Segurança, Saúde e nem sequer respeito por parte desses bandidos que deveriam estar atras das grades.

    2
    • EDMILSON JOSE ZABOTTPALOTINA - PR

      O Clã Sarney, no Maranhão, fizeram tudo que queriam..., agora através destas ONGs estão indo para a Amazônia..., por que não oferecer estas terras aos brasileiros???... Estas terras no futuro terão outros nomes de proprietários, podem acreditar... O que está atrás dessas ONGs?. Vão gerar Funrural , INSS , ICMS , PIS , Confins etc???... Isso é uma vergonha e nós mais uma vez vamos Ver e Ouvir Calados???. Todos os produtores devem buscar informações, cobrar das Federações , e CNA , explicações do Governo Federal, sobre esta negociação...

      1
    • VICENTE RODRIGUESGOIâNIA - GO

      Só o Bolsonaro pra acabar com essa pouca vergonha... estão dando grande parte da nação pros estrangeiros e nós não podemos usufruir dessas riquezas devido às mentalidade do desmatamento zero, que engessa 2/3 do território nacional. Já engessaram 2/3 da nação com o desmatamento zero .estão guardando a Amazônia pra vender barato prós estrangeiros enquanto aqui disputam terras produtivas do centro oeste . Tem muita gente mamando nas tetas do ambientalismo xiita .

      1
    • TANIDIL GOLDGOIÂNIA - GO

      Jair Bolsanaro é mais um corrupto. Notícias da Folha de hoje: Jair Milionário com 13 imóveis acima de 1 milhão. Pra quem era pobre e com salário atual de 24 mil, sem gastar nenhum centavo teria que juntar 48 anos de salário pra adquirir esses bens. Votem nele!!!.

      10
  • Elton Szweryda Santos Hortolândia - SP

    Gostaria de saber a opinião do pre candidato Jair Bolsonaro sobre esse assunto e outros relativos ao CAR e ONGS de meio ambiente... Mesmo porque tenho intensão de apoia-lo.

    4
    • JUNIOR JORGE -

      O Bolsonaro vive falando desse Triplo-A e que a Amazônia já nem é mais nossa, veja vídeos ele falando isso.

      0
    • ELTON SZWERYDA SANTOSHORTOLÂNDIA - SP

      Junior, eu nunca ouvi nada a respeito do bolsonaro sobre isso, pelo contrario, ele quer explorar niobio na amazonia, mas se voce tiver algum link me passe ok.

      0
  • Cassiano aozane Vila nova do sul - RS

    Como pode brasileiros venderem o Brasil de seus filhos para estrangeiros darem a seus filhos???,... acho que essa demência é decorrente de muito flúor na água (??!!).

    3
  • Leonardo Soares de Oliveira Itaboraí - RJ

    Quero comprar!!! Com 600 reais em terras monto uma pequena fazenda, nesse valor posso comprar, pois a 60,00 reais por 1 hectare, nossa!!! caramba!!! quero 10 só para começar...

    2
    • MARILDO KITORCANTAGALO - PR

      Eu também quero!!!, nesses preços tenho vários amigos que estão querendo..., com quem falamos???

      0
    • CARLO MELONISAO PAULO - SP

      Voces nao entenderam a jogada..., Voces vão ter que comprar áreas dos ambientalistas, que montarão uma Reserva Ambiental Particular... Esta Reserva vai oferecer areas de compensação para aqueles que desmataram alem do permitido na atual lei (código florestal)... Muito provavelmente a Reserva revendera' por R$ 3.000,00 o hectare... ASSIM CAMINHA A HUMANIDADE... Uma parte trabalha (e sua para produzir), e a outra parte so' fica **bolando** ideias para arrancar dinheiro...

      1
    • MARCO ANTONIO STAHLSCHMIDTARAQUARI - SC

      ...infelizmente o Brasil tem a fama de pais potencia agricola mundial, em consequencia as terras mais caras do mundo estao aqui. (ou estao querendo praticar preços absurdos). Em recente viagem pelo interior da Europa, me deparei com propriedades agricolas à venda, fiz as contas em euro para reais, por hectare, e vi o quanto esta´caro no Brasil. Um ``chat`` no sul da França, com videiras plantadas, e´mais barato do que um sitio com cana de açucar no interior de Sao Paulo. No centro sul de Portugual, uma ``quinta``, com casa ( de primeira qualidade), com asfalto na porta, segurança juridica, de que ninguem vai lhe invadir e tentar lhe tomar, etc.... e´um terço do preço daqui do Brasil. Entao para se produzir alguma e´preciso ver bem em que lugar esta´se pisando....

      2
    • CARLO MELONISAO PAULO - SP

      MARCO ANTONIO complemento o seu raciocínio ::::Tempo atras foi abordado neste espaço valores da terra---Lembro que variavam de R$ 25 000 ate' o máximo de R$ 60 000 no Parana'-----Considerando que o arrendamento anual gira ao redor de R$ 1300 o ROI isto e' o retorno sobre investimento vai de 19 ate' 46 anos------Trata-se com certeza do pior investimento existente no mundo-----Então e' o caso de se perguntar por que tem agricultor comprando ??? Muito simples este equilíbrio de mercado existe porque o agricultor não tem conhecimentos para investir em outras coisas----

      2