Lula não deve ir a Porto Alegre no dia de seu julgamento, confirma o PT

Publicado em 09/01/2018 08:07 e atualizado em 11/01/2018 09:19
2670 exibições
na Veja.com.br

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deverá acompanhar de São Paulo o julgamento que definirá o seu destino político, no próximo dia 24 de janeiro. Advogados aconselharam o petista a não participar de manifestações em Porto Alegre, onde fica a sede do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), sob o argumento de que é preciso cautela para evitar confrontos e acirramento de ânimos.

“A ida de Lula a Porto Alegre sempre esteve condicionada à possibilidade de ele ser ouvido no julgamento”, disse o líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS). O pedido feito pela defesa do ex-presidente até agora não foi analisado pelo tribunal. “Não tem sentido ele ir lá e ficar olhando. As manifestações que estamos organizando na cidade serão de solidariedade e apoio, mas Lula não vai participar”, afirmou.

Dirigentes do PT já trabalham com a perspectiva da condenação de Lula pelo TRF4, mas, mesmo assim, manterão sua candidatura ao Palácio do Planalto até o último recurso na Justiça. Se Lula for condenado no caso do triplex do Guarujá em segunda instância, ficará inelegível pelos critérios da Lei da Ficha Limpa. Poderá, no entanto, permanecer na campanha deste ano até que todos os questionamentos de sua defesa sejam analisados.

Leia a notícia na íntegra no site da Veja.

Se tiver condenação confirmada pelo TRF-4, Lula só cumprirá sentença após recursos ao próprio tribunal (Reuters)

SÃO PAULO (Reuters) - A execução da pena do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, caso sua condenação seja confirmada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), só ocorrerá após a análise de eventuais recursos ao mesmo tribunal, responsável por analisar os processos da Lava Jato em segunda instância, informou a corte.

De acordo com a corte, existem dois recursos possíveis ainda na segunda instância: os embargos de declaração e os embargos infringentes.

No primeiro, a defesa de Lula, caso a condenação de 9 anos e seis meses de prisão determinada pelo juiz Sérgio Moro seja confirmada pelo TRF-4, poderá pedir esclarecimentos à decisão dos três desembargadores que compõem a 8ª Turma do TRF-4, responsável pelas ações da Lava Jato na corte.

Já os embargos infringentes pode ser pedido se não houver decisão unânime da turma e tiver vencido o voto mais prejudicial ao réu. Neste caso, a defesa pode pedir que o voto mais favorável prevaleça.

Os embargos infringentes são julgados pela 4ª Seção do TRF-4, formada pelas 7ª e 8ª Turmas da corte.

O julgamento do recurso da defesa de Lula contra a condenação por corrupção e lavagem de dinheiro neste caso, que envolve o apartamento tríplex no Guarujá, litoral de São Paulo, está marcado para o próximo dia 24.

Lula lidera as pesquisas de intenção de voto para a eleição presidencial deste ano, mas pode ser impedido de entrar na disputa por conta da Lei da Ficha Limpa, se tiver a condenação confirmada pelo TRF-4.

Lula não será preso no dia 24 (O Antagonista)

O TRF-4 avisou que Lula não será preso em 24 de janeiro.

A nota divulgada pela assessoria de imprensa do tribunal explica que o condenado só pode ir para a cadeia depois de esgotados todos os recursos no segundo grau.

O TRF-4 precisou esclarecer o fato para tentar “esfriar os ânimos em torno do julgamento”, diz O Globo.

Lula deverá ser condenado por 3×0 com variações de penas (o ANTAGONISTA)

O Antagonista apurou que, até agora, os três desembargadores da oitava turma do TRF-4 tendem a confirmar a condenação de Lula pelo caso do triplex, com algumas divergências nas penas.

Considerando que um dos desembargadores opte por uma pena menor, o ex-presidente poderá recorrer com embargos infringentes, que serão julgados em 15 dias.

Significa que a sentença final na segunda instância sairá em fevereiro.

Outra fonte ouvida por O Antagonista, que acompanha o caso de Lula, também aposta que o petista será condenado por 3 a 0, com divergência de pena e sem pedido de vista.

Mas ele acredita que a sentença final na segunda instância pode demorar um pouco mais.

Se não houver divergência na variação das penas, somando todos os recursos (embargos de declaração, recursos especial e extraordinário), são dois meses até “exaurir” o TRF-4 — ou seja, a sentença final poderia sair no fim de março.

Se houver divergência, porém, cabem os chamados embargos infringentes. Nesse caso, seriam no mínimo dois meses para julgamento antes dos recursos especial e extraordinário, e a sentença final sairia apenas depois de abril.

Lula, entre Pinhais e Tremembé

O Antagonista apurou que Lula, caso tenha sua pena confirmada na segunda instância, deveria ser encaminhado para o Complexo Médico Penal, em Pinhais – destino dos condenados do petrolão.

A lei de execução penal, porém, garante ao ex-presidente o cumprimento da pena próximo à família em São Paulo. Tremembé é uma opção.

O ‘tudo ou nada’ dos petistas

As forças de segurança do Rio Grande do Sul acumulam informações de que a mobilização em Porto Alegre tem tudo para ser um fracasso.

Responder a cada provocação petista seria a única possibilidade, na avaliação das autoridades, de “o clima esquentar mais” e a turma partir para o “tudo ou nada”.

O Antagonista acha que, mesmo com meia dúzia de pelegos, eles partirão para o “tudo ou nada” quando verem o comandante máximo da ORCRIM condenado.

“Canalhice”

Roberto Requião disse que, se o TRF-4 condenar Lula, será uma “canalhice”.

Roberto Requião quer ser vice de Lula.

Petistas animados (??!!)

A 15 dias do julgamento de Lula no TRF-4, o PT está divulgando em seu site imagens dos atos em favor do ex-presidente:

 

O quebra-quebra do PT em Porto Alegre

O PT já está se preparando para um quebra-quebra depois do julgamento de Lula no TRF-4.

Segundo a Folha de S. Paulo, a cúpula do partido avisou que “o clima de revolta pode tornar a massa incontrolável” e já destacou uma equipe de advogados para “oferecer suporte jurídico em caso de confrontos ou prisões” de militantes.

Lula no TRF-4: resposta com trabalho e, se necessário, uso da força

O gabinete de crise montado em Porto Alegre para cuidar da segurança durante o julgamento de Lula do TRF-4 já esperava uma reação ainda mais raivosa dos petistas ao decidir, conforme revelamos ontem, fazer de tudo para evitar o acirramento “do clima de intolerância e agressividade”.

A resposta das forças de segurança do Rio Grande do Sul, apurou O Antagonista, será com trabalho e monitoramento. Se precisar, claro, ação dura.

Enquanto isso, as autoridades assistirão aos petistas usarem o gogó.

“É bom que o País conviva com a ideia de um ex-presidente ser processado criminalmente”

O Estadão, em editorial, diz que os petistas precisam se habituar aos processos de Lula.

Leia um trecho:

“O circo que se está armando em torno do julgamento do recurso de Lula da Silva, no próximo dia 24, serve apenas para inflamar os extremistas que já são refratários à reflexão pela própria natureza.

Além disso, toda essa movimentação disparatada serve para obnubilar o que, de fato, a sessão do TRF-4 tem de mais relevante: a demonstração do vigor do Estado Democrático de Direito no País. Em que pesem os desdobramentos políticos do futuro acórdão da Corte em Porto Alegre, trata-se, antes de tudo, de um julgamento estritamente jurídico de um cidadão que foi condenado em primeira instância pela prática de graves crimes.

Cabe ressaltar que este é apenas o primeiro julgamento de Lula da Silva. O ex-presidente é réu em outras seis ações penais no âmbito das operações Lava Jato e Zelotes. É bom que o País conviva naturalmente com a ideia de um ex-presidente ser processado criminalmente, ainda que, é evidente, isso não seja desejável.”

Só uma coisa: se Lula for eleito, seus processos criminais serão engavetados e o Estado Democrático de Direito vai para a cucuia.

O mercado aposta num 3 a 0 contra Lula

O mercado financeiro aposta num 3 a 0 contra Lula no TRF-4.

“Acredita também”, diz o Estadão, “que sua pena será aumentada”.

Por esse motivo, a Bolsa de Valores sobe sem parar.

Lula deverá ser condenado por 3×0 com variações de penas (o ANTAGONISTA)

O Antagonista apurou que, até agora, os três desembargadores da oitava turma do TRF-4 tendem a confirmar a condenação de Lula pelo caso do triplex, com algumas divergências nas penas.

Considerando que um dos desembargadores opte por uma pena menor, o ex-presidente poderá recorrer com embargos infringentes, que serão julgados em 15 dias.

Significa que a sentença final na segunda instância sairá em fevereiro.

Outra fonte ouvida por O Antagonista, que acompanha o caso de Lula, também aposta que o petista será condenado por 3 a 0, com divergência de pena e sem pedido de vista.

Mas ele acredita que a sentença final na segunda instância pode demorar um pouco mais.

Se não houver divergência na variação das penas, somando todos os recursos (embargos de declaração, recursos especial e extraordinário), são dois meses até “exaurir” o TRF-4 — ou seja, a sentença final poderia sair no fim de março.

Se houver divergência, porém, cabem os chamados embargos infringentes. Nesse caso, seriam no mínimo dois meses para julgamento antes dos recursos especial e extraordinário, e a sentença final sairia apenas depois de abril.

Gleisi economiza na mortadela

Se os petistas forem a Porto Alegre para acompanhar o julgamento de Lula, vai faltar gente para o ato na avenida Paulista, que deve contar com o próprio condenado.

Esse é o temor de Gleisi Hoffmann, segundo a Folha de S. Paulo.

Ela está certa.

O PT só tem militantes – e dinheiro – para lotar um evento.

Os alvos do quebra-quebra lulista

Petistas disseram à Folha de S. Paulo que, se Lula for condenado em 24 de janeiro, poderá haver uma “reação radicalizada”.

De acordo com eles, “sedes do Poder Judiciário e de meios de comunicação são vistos como potenciais alvos de ataques” dos militantes de esquerda.

A TV Globo que se cuide.

“O ajuste impossível”

O Brasil está quebrado.

Um alto funcionário da área econômica disse para Miriam Leitão:

“A situação é trágica. O país em 2020 entrará no sétimo ano de déficit. Não se deveria permitir que chegasse nesse ponto, mas chegou. O investimento público da União em 2014 foi 1,4% do PIB. Em 2016 foi 1%, ou R$ 65 bilhões. Em 2017 deve fechar em 0,6% do PIB, entre R$ 40 bi e R$ 45 bi. Mesmo se fosse a zero não seria suficiente. Hoje, para dizer a verdade, precisaríamos de um ajuste impossível, de 2% do PIB”.

Bolsonaro não perde um voto

As denúncias contra Jair Bolsonaro devem ter um impacto nulo nas pesquisas eleitorais.

Segundo os analistas da Eurasia, entrevistados pelo InfoMoney, “ele possui seguidores fiéis nas mídias sociais e pode usar facilmente o argumento de que a mídia pró-establishment tem a intenção de atacá-lo”.

Christopher Garman, diretor da Eurasia, já havia explicado:

“Jair Bolsonaro tem uma característica valiosa que é a autenticidade: você pode concordar ou não com o que ele está falando, mas tem a sensação de que ele fala o que realmente pensa. Esse é um ativo igual ao Trump tinha nos EUA e ele também tem aqui. Não vejo a candidatura dele como fogo de palha”.

PETISTAS MARCAM ‘VISITA DE CORTESIA’ AO TRF-4

Os petistas conseguiram marcar uma audiência com o presidente do TRF-4, Carlos Thompson Flores. Será na próxima sexta-feira.

O Antagonista conversou com Paulo Pimenta, líder do PT na Câmara, que teve a ideia do encontro com o desembargador.

“Será uma visita de cortesia.”

A cortesia petista

O PT marcou uma visita de cortesia ao presidente do TRF-4, Carlos Eduardo Thompson Flores.

Ao mesmo tempo, seus dirigentes usam a esgotosfera para atacá-lo.

Gleisi Hoffmann e Paulo Pimenta reproduziram um tweet que diz:

“O TRF-4, o tribunal que saltou outros processos olimpicamente no afã de condenar Lula, é presidido por Carlos Thompson Flores. Neto de ex-ministro do STF de mesmo nome, noves fora Neto. Em 68 o avô foi nomeado para o Supremo, por decreto, pelo ditador Costa e Silva. Ponto final.”

E o PT na Câmara completou, citando o caso da chefe de gabinete do presidente do tribunal:

“Se o desembargador não tem decoro, por que sua auxiliar teria?”

“Vamos evitar ao máximo qualquer tipo de provocação” em razão do julgamento de Lula no TRF-4:

De Paulo Pimenta a O Antagonista, sobre os atos petistas em Porto Alegre ao longo deste mês, em razão do julgamento de Lula no TRF-4:

“Não temos nenhum interesse em confronto e conflito. Vamos evitar ao máximo qualquer tipo de provocação. De nossa parte, haverá total e absoluto cuidado nesse sentido, posso assegurar. Estive em Curitiba e lá tivemos manifestações absolutamente tranquilas, dentro da normalidade democrática.”

Em relação à manifestação contra a reforma da Previdência na Esplanada dos Ministérios, no ano passado, que terminou em quebra-quebra, o deputado disse:

“Houve uma infiltração de um grupo grande que não fazia parte da manifestação. Eram mascarados, bombados, uns caras fortões, de academia, não tinham nada a ver conosco.”

‘Pimentinha paz e amor’

Secretarias fazem ‘pente-fino’ em redes sociais para julgamento de Lula (Poder360)

Os serviços de inteligência das Secretarias de Segurança Pública do Rio Grande do Sul e Paraná estão monitorando mensagens e postagens em redes sociais com referências ao julgamento do ex-presidente Lula, marcado para 24 de janeiro, em Porto Alegre (RS). O trabalho é realizado há pelo menos 15 dias.

Estão sendo monitorados alguns perfis institucionais ou de integrantes ligados a movimentos que planejam protestos para a data, como MST (Movimento dos Trabalhadores Sem Terra), CUT (Central Única dos Trabalhadores) e MBL (Movimento Brasil Livre). A intenção é detectar os riscos de atos violentos.

O aparato de segurança em Porto Alegre deve ser semelhante ao utilizado em Curitiba na 1ª audiência de Lula. Na ocasião, foram mais de 3.000 policiais, helicópteros, atiradores e bloqueio de ruas próximas.

O MST planejava realizar 1 acampamento na capital gaúcha, mas teve a iniciativa proibida pela Justiça. Os protestos, no entanto, estão liberadaos em área que será delimitada pelas autoridades de segurança pública.

Órgãos da União, Estado e Município reúnem-se há 20 dias num Gabinete de Gestão Integrada para preparar a operação. Participam entidades de Segurança, Trânsito A próxima reunião acontece ainda esta semana. O plano será divulgado na semana anterior ao julgamento.

Serão montados 2 planos de segurança: 1 para o caso de o ex-presidente comparecer ao julgamento; e outro para o caso de que não. Não há estimativa de público que deverá comparecer à cidade na data, mas entidades como o MST e MBL estão convocando manifestantes para atos na capital gaúcha.

O julgamento será realizado no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, responsável por julgar 1 recurso do ex-presidente contra a condenação a 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex no Guarujá, que teria sido custeado pela construtora OAS. A pena foi determinada pelo juiz Sérgio Moro, responsável pela Lava Jato na 1ª instância em Curitiba.

América Latina enfrenta encruzilhada política em 2018, diz Otaviano Canuto

A maioria das economias da América Latina está entrando em 2018 em velocidade de cruzeiro. No ano passado, a região apresentou a 1ª taxa positiva de crescimento do PIB desde 2014, refletindo principalmente a recuperação de recessões no Brasil e na Argentina. Com exceções –como a Venezuela, um caso separado de colapso– o crescimento não só deve continuar a acelerar levemente, mas também deve se tornar mais difuso. Tanto o FMI como o Banco Mundial projetam um crescimento regional do PIB próximo de 2% para este ano.

Espera-se um cenário global favorável à região em 2018, com a recuperação econômica sincronizada nos EUA, Europa e Japão, bem como preços das commodities aumentando ligeiramente. Os riscos negativos neste cenário incluem algum evento extremo de ajuste financeiro desordenado enquanto a política monetária dos EUA seguir normalizando, o que afetaria negativamente as condições financeiras locais e os fluxos de capital estrangeiro. A probabilidade de uma desalavancagem financeira abrupta na China, por sua vez, com repercussões negativas na região, parece ter diminuído: desde 2016 vêm caindo os níveis de excesso de crédito em relação ao PIB, conforme estimativas do BIS (Banco de Pagamentos Internacionais).

Regulamentação mais apertada e rebalanceamento de investimentos parecem ter revertido a trajetória explosiva anterior. Existem ainda riscos associados a alguma ruptura ao cabo da renegociação do NAFTA ou a políticas de migração dos EUA que possam prejudicar os fluxos de remessas para a região.

Não obstante tais riscos externos, o cenário básico para a região é o de uma recuperação econômica baseada nos mercados domésticos. Com a ajuda de taxas de câmbio flutuantes na maioria dos casos, deficits em conta corrente encolheram desde o pico em 2015. Os exportadores de commodities passaram por ajustes de política necessários ao final do superciclo. Com a exceção de México e Argentina, tendências desinflacionárias já vêm permitindo um afrouxamento das políticas monetárias. A política fiscal continua a ser um desafio para a maioria dos países no futuro, mas pelo menos não se espera que seja fonte de impulsos negativos para a demanda agregada neste ano. A queda do endividamento das famílias e das empresas nos últimos anos e a estabilidade de sistemas financeiros domésticos, na maioria dos países, deverão evitar que as finanças domésticas atrapalhem a recuperação.

… MAS COM VELOCIDADE BAIXA

No entanto, a velocidade do cruzeiro permanecerá limitada pelos baixos investimentos e o fraco crescimento da produtividade no passado recente. A queda prolongada do investimento na região, embora agora esteja ocorrendo a um ritmo mais lento, em conjunto com mudanças demográficas e um fraco crescimento da produtividade, reduziram o crescimento potencial do PIB na maioria dos países.

Uma agenda para reerguer investimentos e produtividade pode ser apontada como comum à região. A supressão de carências de infraestrutura mediante investimentos não só elevaria o ritmo da acumulação de capital físico, mas também eliminaria os estrangulamentos generalizados que atualmente bloqueiam aumentos de produtividade. Reformas estruturais destinadas a reduzir a informalidade do mercado de trabalho e o reforço da formação de capital humano deveriam contribuir para aumentar a eficiência e a produtividade. Em toda a região, melhorar a governança e reduzir a corrupção também constituiriam formas de obter maior eficiência e retorno de investimentos.

Tal agenda exigirá perseverança no ajuste fiscal e na adoção de políticas favoráveis ao investimento. O equilíbrio em termos de orientação política na região se inclinou em tal direção, particularmente com as recentes evoluções da formulação de políticas econômicas na Argentina e no Brasil. No entanto, esse é exatamente o domínio em que os riscos domésticos de origem na política podem prejudicar a ressurreição dos investimentos.

É A POLÍTICA, ESTÚPIDO!

O ciclo atual de eleições políticas na região está ocorrendo em condições peculiares, no sentido de que podem implicar dificuldades para avançar reformas estruturais e esforços de ajuste em curso em alguns países-chave. Isso tende a reforçar atitudes de “esperar para ver” por parte de investidores privados, justamente em um momento em que a decolagem dos investimentos é o que vai definir quão longe irá a recuperação atual liderada pelo consumo doméstico.

O Brasil e o México constituem exemplos flagrantes de riscos políticos à frente. No Brasil, o limite de gastos públicos constitucionalmente aprovado pelo Congresso em 2016 precisa ser apoiado por uma reforma da Previdência em um momento em que, como efeito colateral de investigações relacionadas à corrupção, grande parcela dos políticos enfrenta animosidade popular. No México, por sua vez, em parte devido à retórica do presidente dos EUA, Donald Trump, as perspectivas de uma vitória eleitoral contra o status quo se ampliaram. Em ambos os casos, os investimentos privados provavelmente permanecerão contidos até que a maré política mostre onde vai desaguar.

A AMÉRICA LATINA PRECISA MANTER E ACELERAR SEU ATUAL CURSO DE NAVEGAÇÃO

A desaceleração na economia da América Latina desde 2012 foi acompanhada por um crescimento potencial fraco e declinante, refletindo a lentidão nos incrementos de produtividade, a falta de investimentos em capital fixo e a dinâmica demográfica. Por outro lado, as perspectivas da economia global para o futuro próximo, a recuperação cíclica regional em curso e as recentes reorientações de políticas nacionais a favor da elevação da produtividade e da acumulação de capital físico e humano em países-chave abriram uma janela de oportunidade para alterar aquela trajetória. Que em 2018 o exercício da democracia reforce a travessia de tal janela.

*Otaviano Canuto, 61 anos, é diretor-executivo do Banco Mundial. Foi vice-presidente do Banco Mundial e do Banco Interamericano de Desenvolvimento e diretor-executivo do FMI. Trabalhou no Ministério da Fazenda e foi professor na USP e na UnicampAs opiniões expressas neste texto são do autor, não necessariamente do Banco Mundial.

Fonte: Reuters/Estadão/O Antagonista

2 comentários

  • Edu Gaviao Santos - SP

    E eu aqui louco para bater uma panela novamente mas não acho companhia.....!!!!

    2
  • Deocleciano Pentello Goiânia - GO

    Esse julgamento é uma fraude do começo ao fim. LULA 2018

    79
    • ANGELO MIQUELÃO FILHOAPUCARANA - PR

      Lula para presidente... Para presidente Bernardes!

      2
    • ALEXANDRE CARVALHOVENDA NOVA DO IMIGRANTE - ES

      Sr. Deocleciano, nota-se claramente como o senhor é um representante puro da esquerda doentia deste país: cego, surdo e burro! Antes de vir aqui para escrever tamanha falácia, o senhor deveria se perguntar: o que fez o Lula e o PT nesses quase 16 anos de (des)governo? Eu posso ajudá-lo... Quebrou a Petrobrás para "comprar" apoio; entregou patrimônios da Petrobrás para a Bolívia, para financiar essa ideologia falida da esquerda naquele país; criou o falso programa "Mais Médicos" para disfarçar o financiamento do Governo Ditador de Cuba; criou diversos programas de financiamento de movimentos sociais com total irresponsabilidade fiscal e jogando a conta para as empresas pagarem. Enfim, Lula, Dilma e seus asseclas jogaram o NOSSO país no buraco e agora jogam a culpa naquele que escolheram para seu vice; nunca a culpa pelo que aconteceu de ruim é do PT; é sempre dos outros! Tudo que o PT faz é LEGAL e, o que os outros partidos fazem, é ILEGAL. Pessoas como o senhor, não sabem o que é trabalhar; não sabem o que é ter uma empresa nesse país de leis malditas que penalizam aqueles que geram emprego e renda. Para finalizar, se o senhor acredita que esse julgamento é uma fraude e que estão "armando" para prender (sem provas) SEU líder maior, por que o senhor não procura uma Corte Internacional para ajudá-lo? "O PT e seus aliados estão perigosamente apostando na instabilidade institucional. Deixam sistematicamente claro que a lei não vale para eles. Ameaçam velada ou explicitamente o TRF-4, cujo trabalho tem sido impecável na condenação dos envolvidos na Lava Jato, sejam eles petistas ou não." Procure se informar melhor, Sr. Deocleciano! Ou condene-se a ser um cego e surdo pelo resto de sua vida!

      5
    • DEOCLECIANO PENTELLOGOIÂNIA - GO

      Caro Alexandre, o PT fez suas burradas, não poucas, mas teve seus acertos também. Quanto ao judiciário brasileiro esse é arcaico e cheio de privilégios.., e provando que o Lula errou, o condenem, mas que façam isso pra todos. Caso contrário, essa Lava Jato cada vez mais se mostra uma farsa.

      21
    • PAULO ROBERTO RENSIBANDEIRANTES - PR

      Sr. Alexandre, gostaria de complementar o seu comentário, pois no final o senhor escreveu ..Ou condene-se a ser um cego e surdo pelo resto de sua vida! ... Vejo no senhor uma das "qualidades"..., onde o senhor escreveu.... nota-se claramente como o senhor é um representante puro da esquerda doentia deste país: cego, surdo e burro! ... Ou seja, faltou finalizar com a palavra ... BURRO ... Agora está completo !!!

      5
    • ROBERTO FIGUEIREDOBARRETOS - SP

      e mal intencionado..

      0
    • DEOCLECIANO PENTELLOGOIÂNIA - GO

      Amigos, percebo que estão restritos a me ofender, apenas por não concordarem do meu jeito diferente de pensar, como se isso fosse tão importante. Tô meio véio pra entrar nessa, desejo uma bom 2018 para os senhores ; - )

      5
    • PAULO ROBERTO RENSIBANDEIRANTES - PR

      Sr. Deocleciano, no seu último comentário, você iniciou escrevendo... Amigos ... Será que no fundo , você nos considera seus amigos ? Você com seu "jeito diferente de pensar" vem colocando nos seus comentários palavras como ... Esse julgamento é uma fraude do começo ao fim.... Ou seja, todos que pensam diferente de você são fraudadores, golpistas e, por aí vai... QUEM ESTÁ OFENDENDO QUEM ???

      2
    • DEOCLECIANO PENTELLOGOIÂNIA - GO

      Seu Paulo, fraude no âmbito jurídico e político..., como vivemos um dualismo de posições, digo amigo pois não o considero inimigo..., e o senhor quer continuar com essa prosa?

      3
    • ALEXANDRE CARVALHOVENDA NOVA DO IMIGRANTE - ES

      Sr. Deocleciano, me dê apenas 1 exemplo de acerto do PT. A Lava-Jato está agindo contra todos os políticos envolvidos de todos os partidos. O senhor está negando, mais uma vez, a verdade. Por último, com um STF composto por 11 Ministros dos quais, 7 foram indicados pelo PT, o senhor continuará a não querer enxergar ou aceitar a verdade?

      2
    • DEOCLECIANO PENTELLOGOIÂNIA - GO

      Bolsa Família

      7
    • ALEXANDRE CARVALHOVENDA NOVA DO IMIGRANTE - ES

      É, Sr. Deocleciano... talvez o senhor precise melhorar suas fontes de informação. O Bolsa Família nada menos é do que a união dos seguintes Programas Sociais criados pelo então Presidente Fernando Henrique Cardoso: Bolsa Escola, Bolsa Alimentação, Auxílio-Gás e Cadastramento Único do Governo Federal. Agora, imaginando que o Bolsa Família foi um programa totalmente revolucionário e criado pelo Sr. Lula (que a gente sabe que não foi), é um programa de transferência de renda que deveria ter início e fim; deveria servir apenas para tirar da pobreza extrema aqueles que se encontram nessa condição, dando-lhes um suporte para que pudessem, depois, "correr com as próprias pernas", funcionando como um seguro-desemprego. Sabemos que, além do mesmo não ter essa validade, justamente por ser um programa sem fim transforma essas pessoas em verdadeiros vagabundos parasitas (prova disso é a falta de mão-de-obra no campo). E o pior: adivinhe quem paga essa conta? Ou seja: essa teoria "Robinhoodiana" de tirar dos ricos para dar aos pobres, só funciona em filmes pois, na vida real não existe almoço grátis. Vc tem que aumentar a arrecadação para cobrir esses rombos. Agora, como o único objetivo dessa classe política é se manter e se revezar no poder, eles estão pouco se lixando se os verdadeiros geradores de renda e empregos estão quebrando ou não.

      0
    • RODRIGO POLO PIRESBALNEÁRIO CAMBORIÚ - SC

      Tem muitos problemas nessa sua afirmação Deocleciano, o julgamento não é uma fraude. Fraude seria jogar todos os depoimentos de Marcelo Odebrecht, Renato Duque, Antonio Palocci, do pessoal da OAS, fazer de conta que nunca houve nada para proteger um criminoso que trocou o nome de um programa de governo que vinha do anterior e colocou o nome de bolsa familia.

      0
    • DEOCLECIANO PENTELLOGOIÂNIA - GO

      Depois que dá certo, todo mundo quer ser o pai da criança...

      7
    • DEOCLECIANO PENTELLOGOIÂNIA - GO

      Luz para todos

      8
    • PAULO ROBERTO RENSIBANDEIRANTES - PR

      He! He! (risos) ... O Deocleciano esqueceu do "pograma" mais importante do Lula. Não sei por que se esquecem do "FOME ZERO" !!! .... Alguém se lembra? O idealizador é o José Graziano, que hoje se encontra na FAO e, há dois anos condecorou o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, por sua luta incessante em combater a fome do povo venezuelano...NÃO É PIADA NÃO !!! ...

      0
    • DEOCLECIANO PENTELLOGOIÂNIA - GO

      Seu Paulo, nesse ponto concordo com o senhor, a produção agrícola na Venezuela é um desastre. Mas o Fome Zero foi importante e Graziano tem seu mérito nisso, criação de políticas e programas como o PAA, PNAE, Água para Todos, PNATER, tiveram resultados expressivos junto aos pobres e miseráveis desse país. Alguém por aqui conhece ou já sentiu o cheiro da pobreza de perto? É baum conhecer, e o governo do PT com vários equívocos, ainda conseguiu reduzir a pobreza vergonhosa que ainda existe no Brasil, por isso tem meu reconhecimento.

      15
    • HEBER MARIMKATUETE - PY - PI

      Lula reduziu a pobreza, e também a riqueza, o caráter, e principalmente a vontade de trabalhar e conquistar a independência... Viva os filhos vagaba do braZil...

      3