Wall St sobe sob sinais esperançosos acerca do coronavírus, ativos de saúde avançam

Publicado em 08/04/2020 19:12 89 exibições

(Reuters) - As bolsas de valores dos Estados Unidos subiram nesta quarta-feira, com investidores encorajados por sinais esperançosos sobre o surto de coronavírus nos EUA, com as seguradoras de saúde recebendo um impulso adicional do anúncio de que o candidato presidencial democrata Bernie Sanders estava suspendendo sua campanha.

O índice Dow Jones valorizou 3,44%, para 23.433,57 pontos, o S&P 500 avançou 3,41%, para 2.749,98 pontos e o Nasdaq Composite ganhou 2,58%, para 8.090,90 pontos.

Ibovespa fecha em alta pelo 3º dia seguido com respaldo de Fed e petróleo

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa fechou em alta de cerca de 3% nesta quarta-feira, na terceira sessão consecutiva no azul, embalado principalmente pela sinalização do banco central norte-americano na parte da tarde de que não economizará recursos para atenuar os efeitos da crise econômica em razão da pandemia de Covid-19.

Notícias mais positivas no sentido de um aguardado acordo para o corte da produção do petróleo pelos principais produtores da commodity também animaram os mercados, com o contrato Brent fechando em alta de mais de 3% e o WTI disparando 6,2%, o que se refletiu na forte valorização das ações da Petrobras.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 3,36%, a 78.926,35 pontos, de acordo com dados preliminares. Na máxima da sessão, chegou a 79.058,13 pontos. O volume financeiro somava 20,18 bilhões de reais.

Preços do petróleo sobem com expectativa de cortes de oferta

NOVA YORK (Reuters) - Os contratos futuros do petróleo ganharam força na parte final da sessão desta quarta-feira e terminaram o dia em alta, impulsionados por expectativas de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados fechem um acordo na quinta-feira para cortes de oferta.

Os preços do petróleo colapsaram em 2020 por causa de uma forte queda na demanda devido à pandemia de coronavírus e ao excesso de oferta. Em 30 de março, o Brent chegou a ser negociado a 21,65 dólares por barril, menor nível desde 2002.

Agora, espera-se que a videoconferência de quinta-feira entre a Opep e aliados, entre eles a Rússia, um grupo conhecido como Opep+, seja mais bem sucedida do que o encontro de março, que terminou com o fracasso na extensão de um pacto de corte de oferta e a deflagração de uma guerra de preços entre Arábia Saudita e Rússia.

"A pressão sobre esses países para cortes é enorme", disse Phil Flynn, analista do Price Futures Group.

O entusiasmo do mercado em relação à possibilidade de um acordo cresceu após notícias sugerirem que a Rússia vai cortar seu bombeamento, enquanto o ministro de Energia da Argélia afirmou esperar um encontro "frutífero".

O petróleo Brent fechou em alta de 0,97 dólar, ou 3%, a 32,84 dólares por barril. Já o petróleo dos Estados Unidos avançou 1,46 dólar, ou 6,2%, para 25,09 dólares o barril.

Os "benchmarks" chegaram a devolver alguns ganhos, com o Brent operando brevemente em território negativo, depois de dados do governo dos EUA mostrarem que os estoques de petróleo no país tiveram um aumento recorde de 15,2 milhões de barris na semana passada, mesmo com um corte de produção de 600 mil barris por dia.

Fonte:
Reuters

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário