Teste de vacina Covid-19 de Oxford tem 50% de chance de sucesso, diz Telegraph

Publicado em 23/05/2020 19:18 e atualizado em 24/05/2020 11:46 632 exibições

(Reuters) - O teste da vacina contra o Covid-19 da Universidade de Oxford tem apenas 50% de chance de sucesso, pois o novo coronavírus parece estar desaparecendo rapidamente no Reino Unido, disse o professor colíder do desenvolvimento da vacina ao jornal Telegraph.

Adrian Hill, diretor do Jenner Institute de Oxford, que se associou à farmacêutica AstraZeneca para desenvolver a vacina, disse que um próximo estudo, envolvendo 10.000 voluntários, tinha o risco de retornar "sem resultado" devido à baixa transmissão do Covid-19 na comunidade.

"É uma corrida contra o vírus desaparecendo e contra o tempo", disse Hill ao jornal britânico. "No momento, há 50% de chance de não termos nenhum resultado".

A vacina experimental, conhecida como ChAdOx1 nCoV-19, é uma das pioneiras na corrida global para fornecer proteção contra o novo coronavírus.

A equipe de Hill iniciou os testes em humanos em estágio inicial da vacina em abril, tornando-a uma das poucas que alcançaram esse marco.

Londres experimenta novo teste que detecta Covid-19 em 1 hora

LONDRES (Reuters) - Um teste de coronavírus que traz resultados em pouco mais de uma hora e que não requer laboratórios está sendo implementado em vários hospitais de Londres, após receber liberação regulatória. Ele potencialmente pode testar muito mais pessoas em um curto espaço de tempo.

    Em um momento no qual o Reino Unido tenta aumentar o número de testes para esboçar uma retomada da economia, o país ainda usa majoritariamente testes laboratoriais que demoram cerca de 48 horas para produzir um resultado e que exigem, muitas vezes, que as pessoas viajem por longas distâncias para centros regionais ou recebam o resultado por correio, em casa.

    Testes mais rápidos permitirão que mais pessoas voltem ao trabalho ou proporcionarão avaliações mais frequentes, o que ajudaria o primeiro-ministro, Boris Johnson, a atingir sua meta de 200 mil testes por dia, um ponto importante para encerrar o confinamento local.

    A nova forma de detecção, baseada em um teste por DNA desenvolvido por um professor do Imperial College de Londres, foi aprovada pela agência regulatória no fim de abril.

    Com sensibilidade de mais de 98% e especificidade de 100%, o teste DnaDudge está sendo realizado em alas oncológicas, de acidentes, emergências e nas maternidades, como prelúdio para possível aplicação massiva.

    O Ministério da Saúde britânico disse que se trata de um esquema piloto e que outros testes laboratoriais também estão sendo experimentados. O NHS, sistema de saúde pública do Reino Unido, também usa outras máquinas para testar o coronavírus.

    O país fez um pedido inicial de 10 mil cartuchos de DnaNudge em março e comprou outros 70 mil desde então. O preço de cada cartucho é de aproximadamente 49 dólares, ou 270 reais.

    “A chave é que, com esse teste, você vai direto de uma coleta salivar ou nasal para o cartucho, sem transporte e sem laboratório”, disse Chris Toumazou, professor de engenharia do Imperial College que desenvolveu o teste.

    “Você pode até olhar para pequenos fragmentos de RNA (ácido ribonucleico) e checar se um paciente está saindo ou entrando da Covid”, afirmou.

    O teste, que requer amostra da narina, está sendo aplicado no Chelsea and Westminster Hospital, West Middlesex University Hospital, St Mary's e no Queen Charlotte's and Chelsea Hospital.

    “Esse teste funciona e é mais sensível do que alguns realizados em laboratório”, disse o Dr. Gary Davies, diretor médico do Chelsea and Westminster Hospital. Ele afirmou que o teste está sendo usado para pacientes que dão entrada, para que se decida em qual ala devem ser colocados.

Governador de NY pede bom senso após autorizar reuniões de até 10 pessoas

NOVA YORK (Reuters) - O governador de Nova York, Andrew Cuomo, aconselhou as pessoas a exercer bom senso e distanciamento social ao se reunir em grupos de até 10 pessoas, conforme permitido em uma ordem executiva afrouxando as restrições emitida no final da sexta-feira.

Em sua coletiva diária neste sábado, ele disse que Nova York registrou 84 mortes por coronavírus em 22 de maio, em comparação com 109 no dia anterior, continuando uma tendência de queda no número de vítimas da pandemia no Estado.

"Você pode ter uma reunião segura de 10 pessoas ou uma reunião totalmente insegura de 10 pessoas", disse Cuomo. "Se você não precisa estar com um grupo de dez pessoas, não fique com um grupo de dez pessoas."

EUA já têm 96 mil mortos por Covid-19 e quase 1,6 milhão de casos, segundo CDC

(Reuters) - O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos relatou neste sábado 1.595.885 casos do novo coronavírus, um aumento de 24.268 registros em relação à contagem anterior, e disse que as mortes aumentaram em 1.852, para 96.002 pessoas.

O CDC relatou sua contagem de casos da doença respiratória conhecida como Covid-19 a partir das 16h do dia 22 de maio, em comparação com a contagem realizada no dia anterior.

Os números do CDC não refletem necessariamente casos relatados por Estados norte-americanos individuais.

Tailândia inicia testes de vacina contra coronavírus em macacos

BANGKOK (Reuters) - A Tailândia começou neste sábado a testar em macacos uma vacina contra o coronavírus após testes positivos em ratos, disse o ministro da Educação, Ciência e Pesquisa e Inovação da Tailândia, Suvit Maesincee.

Ele afirmou que os pesquisadores transferiram o teste da vacina para macacos e esperam ter um "resultado mais claro" de sua eficácia até setembro.

"Este projeto é para a raça humana, não apenas para os tailandeses. O primeiro-ministro (Prayuth Chan-ocha) esboçou uma política de que devemos desenvolver uma vacina e nos juntar à força de trabalho da comunidade mundial", disse Suvit a repórteres no sábado.

A Tailândia anunciou na quarta-feira que estava desenvolvendo uma vacina - uma das pelo menos 100 possíveis vacinas em andamento em todo o mundo - e espera que ela seja produzida no próximo ano.

Suvit disse que a Tailândia começou reservando dois fabricantes para sua vacina contra o Covid-19.

Desde que surgiu na China, no final do ano passado, o novo vírus já se espalhou pelo mundo, infectando mais de 5 milhões de pessoas e matando mais de 300.000.

A vacina tailandesa está sendo desenvolvida pelo Instituto Nacional de Vacinas, pelo Departamento de Ciência Médica e pelo centro de pesquisa de vacinas da Universidade Chulalongkorn.

Fonte:
Reuters

0 comentário