Wall St tem forte alta e rali com dados surpreendentes de emprego nos EUA

Publicado em 05/06/2020 18:12 92 exibições

LOGO REUTERS

NOVA YORK (Reuters) - Wall Street teve forte alta nesta sexta-feira, depois que um relatório surpreendentemente favorável de criação de empregos em maio forneceu inesperadamente evidências mais claras de que a economia dos Estados Unidos está caminhando para uma recuperação mais rápida do que o esperado.

O Nasdaq chegou a superar sua máxima histórica de fevereiro, mas reduziu os ganhos e encerrou a sessão a um triz do recorde. Todos os três principais índices de ações dos EUA avançaram 2% ou mais.

Os índices S&P 500 e Dow Jones estão agora 5,7% e 8,3% abaixo de seus respectivos recordes de fechamento.

O S&P 500 reduziu as perdas no ano para 1,1%.

A economia dos EUA criou notáveis ​​2,5 milhões de empregos no mês passado, recuperando-se do fechamento recorde de 20,7 milhões em abril, e a taxa de desemprego caiu para 13,3%. Analistas enxergavam o desemprego disparando para um patamar histórico de 19,8%.

"Esses números são uma grande surpresa positiva", disse Michael Arone, estrategista-chefe de investimentos da State Street Global Advisors em Boston.

"Isso sugeriria uma confirmação adicional de que a economia está voltando à vida", acrescentou Arone. "Esse é um forte sinal de que os efeitos são temporários e de que a economia está melhorando."

Os rendimentos dos Treasuries subiram na esteira dos dados de emprego, movimento que deu impulso a ações de bancos, sensíveis às taxas de juros e fez o índice de bancos do S&P 500 saltar 4,9%.

Agora, agentes do mercado voltam os olhos para o Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos), que realiza sua reunião de política monetária na próxima semana, na qual os dados mais recentes do mercado de trabalho quase que certamente serão debatidos.

O Dow Jones encerrou em alta de 3,15%, para 27.110,98 pontos, o S&P 500 avançou 2,62%, para 3.193,93 pontos, e o Nasdaq teve alta de 2,06%, para 9.914,08 pontos.

Bolsas de NY fecham em alta após payroll mostrar criação de empregos em maio

LOGO estadao

As bolsas de Nova York fecharam com ganhos, nesta sexta-feira, 5, após o relatório de empregos (payroll) dos Estados Unidos mostrar criação de postos de trabalho em abril, ao contrário do que previam analistas. Com o apetite por risco em alta, o índice acionário Nasdaq chegou a atingir a máxima histórica intraday durante o pregão.

O índice Dow Jones avançou 3,15%, em 27.110,98 pontos, o Nasdaq subiu 2,06%, a 9.814,08 pontos, e o S&P 500 registrou ganho de 2,62%, a 3.193,93 pontos. Na comparação semanal, os índices tiveram alta de 6,80%, 3,42% e 4,91%, respectivamente. Durante o pregão, o Nasdaq chegou a atingir os 9.842,49 pontos, máxima histórica intraday.

O mercado de trabalho americano criou 2,509 milhões de empregos em maio, segundo dados do Departamento do Trabalho, com o início do processo gradual da reabertura nos Estados, após meses de quarentena para conter o avanço da pandemia de covid-19. Com o resultado surpreendente, o otimismo com a retomada econômica, que já prevalecia na semana, ganhou impulso.

"Esta é melhor que uma recuperação em V, é uma recuperação foguete", comemorou o presidente americano, Donald Trump.

Na visão do economista para Estados Unidos da Capital Economics Michael Pearce, o payroll de maio "sugere que a economia está se recuperando mais rapidamente do que o previsto". "Embora ainda pensemos que levará muito tempo até que o mercado de trabalho esteja próximo do seu estado pré-coronavírus", pondera Pearce.

"Ações dos setores de energia, financeiro e industrial foram beneficiados, registrando retornos de dois dígitos nesta semana", destacam analistas da corretora americana LPL Financial No S&P 500, o subíndice de energia liderou as altas hoje (+7,46%), seguido pelo do setor financeiro (+3,87%) e pelo do setor industrial (+3,71%). "O rali do S&P 500 tem sido sustentado pelas expectativas de que a atual crise, embora profunda, tenha vida curta", afirma a analista Simona Gambarini, também da Capital Economics.

Entre as ações das principais empresas listadas nas bolsas de Nova York, Boeing subiu 11,47%, Citigroup avançou 5,77%, Chevron ganhou 4,71% e ExxonMobil registrou alta de 8,11%.

No radar dos investidores, ficam ainda os protestos antirracismo nos EUA e as tensões entre Washington e Pequim. Hoje, Trump voltou a criticar a China pela atuação do país asiático na pandemia de coronavírus e ameaçou impor tarifas.

Fonte:
Reuters/Estadão Conteúdo

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário