Bolsonaro publica vídeo tomando a 3a.dose de hidroxicloroquina e diz que está bem

Publicado em 07/07/2020 12:22 e atualizado em 08/07/2020 10:34 4739 exibições

 

 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro publicou nesta terça-feira vídeo nas redes sociais tomando comprimido de hidroxicloroquina contra Covid-19, após ter anunciado mais cedo que teve resultado positivo em teste para o novo coronavírus.

"Estou tomando aqui a terceira dose da hidroxicloroquina. Estou me sentindo muito bem, estava mais ou menos no domingo, mal na segunda-feira, hoje, terça, estou muito melhor do que sábado, então, com toda certeza, está dando certo", disse Bolsonaro no vídeo.

"Sabemos que hoje em dia existem outros remédios que podem ajudar a combater o coronavírus, sabemos que nenhum tem sua eficácia cientificamente comprovada, mas mais uma pessoa que está dando certo, então eu confio na hidroxicloroquina", acrescentou.

Ainda na segunda-feira, antes mesmo do resultado de seu exame, Bolsonaro disse ter começado a usar o medicamento. Bolsonaro, assim como o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, é um ferrenho defensor do uso da cloroquina e da hidroxicloroquina para tratamento da doença respiratória provocada pelo novo coronavírus, apesar a falta de eficácia comprovada cientificamente.

Por determinação do presidente, o Ministério da Saúde estabeleceu um protocolo de uso ampliado dos medicamentos para tratar a Covid-19, mesmo em casos leves da doença. Até o fim de junho, o Ministério da Saúde já havia entregue 4.374.000 unidades de cloroquina aos Estados brasileiros desde o início da pandemia, de acordo com números da pasta.

Bolsonaro testa positivo para Covid-19, mas passa bem

LOGO REUTERS

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta terça-feira que teve resultado positivo em teste para Covid-19.

"Todo mundo sabia que ele (vírus) mais cedo ou mais tarde iria atingir uma parte considerável da população, como tem muita gente... eu, por exemplo, se eu não tivesse feito o exame não saberia do resultado, e ele acabou de dar positivo", disse Bolsonaro em entrevista transmitida ao vivo pela televisão.

O presidente realizou o teste na segunda-feira, depois de começar a ter sintomas leves no domingo. Na segunda-feira, Bolsonaro teve dor no corpo e febre de 38 graus.

No final da tarde de segunda, o presidente disse a apoiadores, em frente ao Palácio da Alvorada, que estava com sintomas e que foi ao Hospital das Forças Armadas fazer uma radiografia de pulmão, mas que não apareceu nenhum problema.

Bolsonaro também fez questão de informar que já havia começado a tomar hidroxicloroquina, medicamente que não tem comprovação de eficácia contra a Covid-19, mas é defendido pelo presidente.

Desde a sexta-feira, dois dias antes de apresentar os primeiros sintomas da Covid-19, o presidente teve oficialmente contato com pelo menos duas dezenas de pessoas, de acordo com suas agendas, além de um número não calculado de assessores e assistentes.

Na lista de pessoas que estiveram com Bolsonaro recentemente estão, por exemplo, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, que almoçou com ele no Palácio da Alvorada. Estavam também no encontro organizado por Skaf, entre outros, Luiz Carlos Trabuco, do Bradesco, Francisco Gomes, da Embraer, Rubens Ometto, da Cosan, e Lorival Nogueira, da BRF.

No sábado pela manhã, Bolsonaro sobrevoou rapidamente áreas atingidas pelo ciclone em Santa Catarina. Ao chegar a Florianópolis, foi recebido pela vice-governadora Daniela Reinehr, além dos senadores Dário Berger (MDB), Esperidião Amin (PP) e Jorginho Mello (PL).

O presidente também participou no mesmo dia de evento na embaixada dos Estados Unidos em Brasília, com a presença do embaixador norte-americano, Todd Chapman, para comemorar a independência dos EUA.

Antes de ser submetido ao exame na segunda-feira, o presidente se reuniu com diversos ministros, incluindo Paulo Guedes (Economia), Braga Netto (Casa Civil) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo).

Teste de Guedes para Covid-19 na semana passada deu negativo, diz Ministério da Economia

BRASÍLIA (Reuters) - O Ministério da Economia informou nesta terça-feira que o ministro Paulo Guedes fez um teste na semana passada para a Covid-19 e o resultado foi negativo.

"O ministro não apresenta sintomas da doença", diz nota divulgada pela assessoria de imprensa de Guedes. "Conforme recomendação médica, ele cumprirá agenda por meio de videoconferência e fará novo exame em quatro dias para assegurar a eficácia do resultado."

Guedes, 70 anos, esteve na segunda-feira com o presidente Jair Bolsonaro, que anunciou nesta terça-feira ter recebido um resultado positivo para Covid-19. Bolsonaro, com 65 anos, realizou o teste na segunda, depois de começar a ter sintomas leves.

A saúde de Guedes foi tema de comentários no mercado de câmbio nesta terça-feira, mas a avaliação de operadores é que as preocupações não chegaram a afetar preços.

No Banco Central, a assessoria de imprensa informou que "até aqui" nenhum dirigente da instituição registrou resultado positivo para Covid.

"Em função de algumas atividades presenciais, os dirigentes do BC têm adotado como prática realizar testes periódicos de detecção da COVID-19", disse a assessoria, sem detalhar se o presidente da autarquia, Roberto Campos Neto, fez algum exame após a notícia de que Bolsonaro estaria contaminado.

 

Fonte:
Reuters / Estadão Conteúdo

0 comentário