Wall Street encerra em alta, liderada por energia e matérias-primas

Publicado em 14/07/2020 18:45 29 exibições

(Reuters) - Wall Street encerrou em alta nesta terça-feira, com o Dow Jones avançando mais de 2%, à medida que investidores aportaram em ações de energia e matérias-primas e olharam para além do recente aumento nos casos de coronavírus.

Os segmentos de energia, matérias-primas e indústria subiram mais de 2%, enquanto os de saúde, tecnologia e produtos básicos para consumo avançaram mais de 1%.

A Amazon caiu 0,6%. A companhia e outras ações de tecnologia com forte desempenho recentemente, incluindo Facebook e Netflix, recuperaram-se de perdas mais profundas, dando ao Nasdaq um impulso de última hora.

"Hoje é contra-intuitivo. Estamos lendo sobre o declínio da economia na Califórnia e um aumento recorde de casos na Flórida, e você ainda tem as ações de energia liderando", disse Bob Shea, diretor executivo da TrimTabs Asset Management em Nova York. "Estamos vendo uma pequeno giro em valor".

O JPMorgan Chase & Co, o maior credor dos EUA, avançou 0,6% depois de registrar uma queda menor do que a esperada, de 51% no lucro do segundo trimestre.

A Wells Fargo & Co caiu 4,6% após registrar uma perda trimestral pela primeira vez desde a crise financeira de 2008. O Citigroup Inc recuou 3,9% depois de informar uma queda acentuada no lucro trimestral.

O segmento de bancos do S&P 500 caiu 1,2%, com os três bancos reservando 28 bilhões de dólares, em conjunto, para cobrir possíveis perdas em empréstimos a tomadores afetados pela pandemia do coronavírus

O Dow Jones avançou 2,13%, encerrando em 26.642,59 pontos, enquanto o S&P 500 subiu 1,34%, para 3.197,52 pontos. O Nasdaq teve alta de 0,94% para 10.488,58 pontos.

Petróleo tem leve alta com firme adesão da Opep+ a cortes de produção

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo tiveram leve alta nesta terça-feira, com a Opep e aliados promovendo em junho uma redução de produção maior do que a estipulada por acordo, embora as preocupações de demanda relacionadas ao aumento no número de casos de coronavírus nos Estados Unidos persistam.

Os contratos futuros do petróleo Brent fecharam em alta de 0,18 dólar, a 42,90 dólares por barril, depois de chegarem a cair no início da sessão. Já os futuros do petróleo dos EUA (WTI) avançaram 0,19 dólar, para 40,29 dólares o barril.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e seus aliados, liderados pela Rússia, que formam o grupo conhecido como Opep+, registraram em junho uma adesão de 107% aos cortes de bombeamento estipulados por acordo do grupo, segundo uma fonte da Opep+.

O mercado aguarda notícias da Opep+ sobre o próximo nível dos cortes de produção. O Comitê Técnico Conjunto se reúne nesta terça, enquanto o Comitê Conjunto de Monitoramento Ministerial deve se encontrar na quarta-feira.

"As especulações sobre a Opep+ pressionaram o mercado, mas agora os dados de conformidade (aos cortes) foram revelados e deram suporte", disse John Kilduff, sócio da Again Capital Management em Nova York.

Ainda assim, o mercado se mantém cauteloso por preocupações de que Estados norte-americanos possam retomar medidas de "lockdown" no combate ao coronavírus, como visto na segunda-feira na Califórnia, que acompanhou movimentos semelhantes do Texas e da Flórida.

Fonte:
Reuters

0 comentário