Proprietários da Fazenda Buriti (MS) discordam de indenização oferecida pela União e devem pedir por devolução das terras

Publicado em 30/09/2014 15:07 756 exibições

Após receberem a notícia de que o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) havia avaliado o preço da Fazenda Buriti em Sidrolândia (MS) em R$ 80 milhões, os proprietários da terra, em conjunto com o advogado responsável, Newley Amarilla, irão realizar uma reunião às 16h (horário local) de hoje para discutir as próximas atitudes a serem tomadas quanto à decisão.

O valor foi considerado baixo pelos proprietários, que avaliam suas terras, no valor de mercado, a R$ 152 milhões. O valor pedido para a União havia sido de R$130 milhões a R$150 milhões. Após uma série de reuniões e de uma espera que se arrastou ao longo de um ano, o valor oferecido foi o mesmo que havia sido colocado em pauta inicialmente.

Amarilla aponta que não há mais interesse de negociação com a União. A decisão deve partir para um pedido ao Tribunal de Justiça de devolução da terra, além de indenização pelo uso da terra de forma indevida.

A situação também se mostra preocupante para a comunidade indígena que habita a terra neste momento. Com a decisão, a insegurança também fica cada vez maior para a comunidade. “Fazem dois anos que estamos neste impasse e a União demonstra falta de compromisso para resolver o problema. Creio que esta questão de valores deve ser resolvida entre fazendeiros e União, mas os nossos direitos também devem ser assegurados. O ideal seria a desapropriação e os valores serem definidos na Justiça depois entre fazendeiros e União”, disse a liderança indígena Valcélio Figueiredo, da Comissão Nacional de Políticas Indígenas de MS e terena da aldeia Tereré em Sidrolândia, em entrevista ao jornal A Crítica. Mais de seis mil índios habitam a região.

Por:
Izadora Pimenta
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário