Soja tem dia de pouca movimentação dos preços no Brasil e em Chicago nesta 5ª feira

Publicado em 02/07/2020 18:04 760 exibições

LOGO nalogo

Estável. Foi assim que o mercado da soja encerrou o pregão desta quinta-feira (2) na Bolsa de Chicago, mesmo com algumas boas notícias sendo reportadas pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos). Reportes da instituição trouxeram uma nova venda de 126 mil toneladas da oleaginosa norte-americana para a China e as vendas semanais para exportação da safra 2020/21 dos EUA acima das expectativas. 

Na última semana, o total foi de 841,7 mil toneladas, enquanto o mercado esperava algo entre 300 mil e 800 mil toneladas. Da safra velha, o volume semanal ficou aquém do esperado, porém, no acumulado do ano comercial o total de 45,042 milhões já supera a última estimativa total do USDA de 44,91 milhões de toneladas. 

Ao lado das informações sobre a demanda, o mercado acompanha ainda as questões climáticas nos EUA e o desenvolvimento da nova safra. Embora um tanto divergentes, as previsões não sinalizam ameças muito severas ou generalizadas para a temporada 2020/21. 

"Nestas próximas 4 a 6 semanas viveremos um período crucial para o resultado da safra norte-americana. A ARC estima que mais de 50% da safra de soja e milho no Cinturão Agrícola entrará em estágios reprodutivos durante os próximos 30 dias, aumentando a preocupação do mercado diante das projeções climáticas para o país", explica a ARC Mercosul em seu reporte diário.

Para os próximos dias deverão ser registrados alguns dias de tempo mais quente e seco no Corn Belt, porém, ainda segundo a ARC, "não se espera que esta condição se estenda por todo mês de julho". 

Além dos fundamentos, uma pequena realização de lucros também tirou a força dos preços nesta que foi a última sessão da semana. O feriado do Dia da Independência foi adiantado para esta sexta-feira (3) nos EUA, a bolsa não opera, e os traders aproveitaram o final de semana prolongado para reajustar suas posições para começar a próxima semana. 

MERCADO INTERNO

Se em Chicago o mercado fechou estável, no Brasil a situação não foi diferente e variações nos indicativos foram observadas somente em praças de comercialização pontuais. O dólar subiu ligeiramente, mas foi neutralizado pelas pequenas baixas da CBOT. A moeda americana encerrou o dia com R$ 5,35.

Em Paranaguá, disponível com R$ 114,50 e safra nova em R$ 107,00 por saca; em Rio Grande, R$ 114,00 e R$ 106,50, respectivamente. Novo dia de poucos negócios e movimentação limitada frente aos índices altos de comercialização das safras atual e nova.  

Por:
Carla Mendes | Instagram @jornalistadasoja
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário