Batalhão Rural da PM de Goiás prende falso policial que vinha aplicando golpes em produtores rurais

Publicado em 20/05/2022 12:01

Logotipo Notícias Agrícolas

O Batalhão Rural da Polícia Militar de Goiás prendeu, em Goiânia, um homem que vinha se passando por um policial do setor e aplicando golpes em produtores rurais no estado. Além se passar por membro da PM, o autor dos crimes ainda fingia ser funcionário da Receita Federal, agente penitenciário e outras funções públicas, sempre com o objetivo de obter vantagem indevida. 

Desde que souberam da possaibilidade do golpe, os policiais passaram a monitorar o indivíduo até chegar a ele e realizar sua prisão, no último dia 3 de maio, em flagrante por crime de estelionato. 

Ainda de acordo com informações do Comando de Operações do Cerrado, no local foram encontradas diversas anotações sobre vítimas, os golpes, além de um colete da imprensa, uma roupa de médico, diversos chips de celulares, e recibos de pagamentos pelos supostos serviços prestados. 

 Abaixo, imagens do Batalhão Rural da Polícia Militar de Goiás do dia da prisão do falso policial:

O especialista em segurança no agronegócio Carlos Zumerle afirma que uma das principais dicas quando o assunto é segurança é ter cuidado com as pessoas que visitam propriedades rurais. É comum que indivíduos que estejam planejando cometer algum crime possam chegar à sua propriedade afirmando serem compradores e/ouy vendedores de animais, de produtos, consultores, ou até mesmo policiais como neste caso registrado em Goiás. 

"De dia agem como cordeiros e a noite, atacam como lobos. É preciso estar atento", afirma Zumerle. 

>> Clique AQUI para mais dicas e para saber mais sobre segurança no agronegócio!

DENUNCIE!

Contato do Batalhão Rural da PM de Goiás

Disk Denúncia Rural: (62)99631-4340
Perfil Instagram: @batalhaoruralpmgo

Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário