Seca na América do Sul dá suporte ao mercado da soja em Chicago

Publicado em 16/12/2011 11:07 1641 exibições
A soja opera em alta pelo segundo dia consecutivo na Bolsa de Chicago nesta sexta-feira. Depois das significativas baixas registradas no início da semana, o mercado tenta se recuperar e avança.

De acordo com analistas ouvidos pela agência Bloomberg, a sustentação para as cotações da oleaginosa vem da estiagem em importantes regiões produtoras na América do Sul. O clima seco em partes do Brasil e da Argentina poderia prejudicar severamente as lavouras e comprometer os estoques mundiais de soja.

A Telvent, agência norte-americana de notícias, informou que as lavouras argentinas de soja, milho e trigo deverão sofrer com o clima quente e com uma frente fria na semana que vem. Já no Brasil, a região sul pode enfrentar condições de clima mais quente nos próximos dias, com um volume de chuvas abaixo do normal nos estados do Rio Grande do Sul e Paraná.

"O mercado futuro da soja está encontrando suporte nas contínuas preocupações com a seca na América do Sul", disse o estrategista de commodities do Commonwealth Bank, da Australia.

No pregão noturno desta sexta-feira, os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago fecharam em alta. O vencimento janeiro encerrou a sessão valendo US$ 11,17 por bushel, com alta de 5,25 pontos, e o maio/12 - referência para a safra brasileira - fechou a US$ 11,36, subindo 4,50 pontos.

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

1 comentário

  • ivo angelo rossoni fava Redentora - RS

    Em nossa região não chove uniformemente desde 25 de novembro. Aliás em alguns municípios da Região Noroeste do RS não choveu nada, desde meados de Novembro. O MILHO já aprersenta perdas irreversíveis. Falta apenas mensurar a perda.

    A SOJA supercroce, está subdesenvolvida, e entrando em período de floração, se não chover imediatamente igualmente as perdas serão consideráveis.

    Quanto ao MILHO, o plantio atrasou em virtude do excesso de chuvas em julho e agosto. Já a SOJA houve antecipação de plantio por causa das noticias de estiagem em fim fevereirio e março. Dando-se preferência as variedades superprecoces, o que hoje só agrava a situação.

    0