CBOT: Depois de forte alta por conta da seca, grãos realizam lucros

Publicado em 10/01/2012 13:14 1000 exibições
Depois das fortes e expressivas altas registradas ontem, os futuros dos grãos negociados na Bolsa de Chicago têm um dia negativo nesta terça-feira. A soja e o trigo fecharam o pregão noturno no vermelho e o milho próximo da estabilidade, com ligeiros ganhos.

As perdas foram arrastadas para a sessão regular e, por volta das 14h (horário de Brasília), os principais vencimentos da soja perdiam mais de 10 pontos. No milho, as baixas não superavam os 4 pontos e no trigo, os contratos mais negociados perdiam pouco mais de 6,50 pontos.

Apesar do claro suporte que a falta de chuvas está dando ao mercado internacional de grãos, hoje as cotações realizam lucros na Bolsa de Chicago. Nesta segunda-feira, 9, os preços fecharam o dia com quase 40 pontos positivo.

Além disso, o bom desempenho dos negócios no mercado financeiro também atuam como fator positivo nesta terça-feira. As bolsas de valores registram um dia de altas, o dólar opera em baixa e, em Nova York, o petróleo avança.

USDA - Além dos fatores já conhecidos, os investidores ainda voltam sua atenção para o relatório que o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulga nesta quinta-feira, 12. O boletim, que traz os números de oferta e demanda, é o primeiro de 2012.

Ontem, o Commerzbank divulgou uma nota afirmando acreditar que o USDA deverá revisar para cima o déficit mundial de soja e milho, reduzindo suas estimativas para a produção sulamericana de grãos.

O comunicado do banco divulgado hoje diz ainda que muitos de seus clientes já estimam que as colheitas devem ser mais prejudicadas do que na safra 2008/2009, quando a mais grave estiagem em 70 anos deixou sua marca registrada.

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

1 comentário

  • João Marino Delize Maringá - PR

    Esta pesquisa da Conab sobre as perdas da safra 2011/2012, no meu modesto entender esta muito aquém da realidade. Em minha opinião a soja na Região Sul do Brasil já perdeu na melhor das hipótes de 20 a 25% e o milho de 30 a

    35%. Levando-se em consideração que a Região sul produz metade da safra

    brasileira, penso que já houve um queda de 15%, ou seja uma perda de aproximadamente 25 milhões de toneladas da referida safra.

    0