Grãos fecham no vermelho com chuvas na Argentina e dólar em alta

Publicado em 20/01/2012 15:12 e atualizado em 20/01/2012 16:55 1029 exibições
Os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago estenderam as perdas do pregão noturno para a sessão regular desta sexta-feira e fecharam a semana no vermelho. Por volta das 16h (horário de Brasília), os principais vencimentos operavam com baixas de mais de 10 pontos. O maio/12, referência para a safra brasileira, operava a US$11,94 por bushel, com 10 pontos negativos.

Para analistas, o que pressionou o mercado hoje foram as previsões de chuvas na Argentina e mais a alta do dólar, além do desempenho fraco das bolsas de valores internacionais.

São esperadas precipitações durante o final de semana em regiões produtoras bastante importantes na Argentina e as mesmas poderiam aliviar o estresse que passam as lavouras por conta desse déficit hídrico.

Frente a essas previsões e mais um mercado financeiro não tão positivo, os traders parecem ter optado por reduzir sua exposição ao risco, também em função do final do semana, e estão liquidando algumas posições. A alta da moeda norte-americana acaba contribuindo para essa baixa das cotações, uma vez que reduz a competitividade da oleaginosa norte-americana.

Os mesmos fatores pressionaram o mercado do milho na Bolsa de Chicago, uma vez que as lavouras do cereal da América do Sul também sofrem com os impactos da seca. O recuo, porém, foi menor do que os registrados pela soja.

Veja como ficaram as cotações no fechamento desta sexta-feira:

>> SOJA

>> MILHO

>> TRIGO

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário