Chicago: Após USDA morno, soja fecha semana em campo misto. Milho avança

Publicado em 09/03/2012 17:42 823 exibições
Nesta sexta-feira, o mercado internacional da soja encerrou a semana sem direção, com as cotações em território misto. Os dados divulgados pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) não trouxeram grandes novidades e, como disse o analista de mercado Carlos Cogo, "o departamento apenas publicou o que o mercado já conhecia". 

Apesar de considerar os números adequados com as perdas no Brasil, na Argentina e no Paraguai, o relatório não foi capaz de surpreender o mercado com informações que já vinham sendo precificadas ao longo das últimas sessões. Durante pouco mais de 10 sessões consecutivas, intercaladas com ligeiras realizações de lucros, os futuros da oleaginosa avançaram em Chicago, apoiando-se no quadro de oferta restrita na América do Sul, ocasionada pela seca. 

Porém, o USDA demorou a confirmar essas informações e os preços já haviam quantificado os prejuízos com informações que chegaram de diversas consultorias particulares. 

Por outro lado, alguns analistas apostam ainda que o boletim de hoje é altista para o mercado no médio e longo prazos. Além disso, o departamento, como explicou Cogo, ignorou a demanda adicional pela soja norte-americana em função da quebra na produção sulamericana e fez isso, principalmente reduzindo suas estimativas para as importações da China. "Isso sim foi uma surpresa. Mas, nos próximos meses, isso deve ser ajustado, confirmando este momento de demanda aquecida que não foi retratado neste relatório". 

Nas próximas sessões, uma nova variável, porém, chegará ao mercado: as informações sobre a área de plantio da safra 2012/13 dos Estados Unidos. Espera-se que a área destinada à soja registre um ligeiro recuo em detrimento do espaço destinado ao milho. O cereal deverá ocupar a maior área plantada desde 1944. Esses dados, provavelmente, estimularão novas altas ao mercado da oleaginosa, uma vez que ainda não foram quantificados. 

Milho - Na contramão da soja, os futuros do milho fecharam a semana em alta na Bolsa de Chicago. Os ganhos, nos contratos mais próximos, superaram os 9 pontos. 

O principal fator de alta na sessão de hoje foi a demanda global bastante firme pelo milho dos Estados Unidos diante de estoques historica e perigosamente baixos. "O movimento positivo de hoje foi meramente técnico", disse Cogo. 

Afinal, se para a soja o relatório do USDA veio sem surpresas, para o milho ele veio praticamente inalterado. 

Paralelamente, o analista explicou ainda que os preços do cereal estão em linha com os do trigo soft (usado para a fabricação de ração) e isso impede que uma ou outra commodity registrem movimentos, sejam positivos ou negativos, desenfreados. 

Veja como ficaram as cotações no fechamento desta sexta-feira na Bolsa de Chicago:



Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário