Chicago: Grãos encerram semana com forte alta após USDA

Publicado em 30/03/2012 15:05 e atualizado em 30/03/2012 17:20 3151 exibições
Nesta sexta-feira, os futuros dos grãos dispararam no mercado internacional após a divulgação do relatório do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) sobre o plantio da safra 2012/13 nos EUA e mais os estoques trimestrais do país. Por volta das 14h35 (horário de Brsília), a soja operava com mais de 50 pontos de alta, o milho, nos dois primeiros vencimentos, registrava limite de alta de 40 pontos e o trigo também subia mais de 40 pontos. 

Os números divulgados nesta sexta-feira pelo USDA sobre uma redução na área de soja para  a safra 2012/13 dos EUA deu um estímulo aos futuros da oleaginosa na Bolsa de Chicago. Os preços porém deram uma ligeira recuada, fechando a semana com pouco menos de 50 pontos, mas com os principais vencimentos acima dos US$ 14 por bushel. 

O departamento surpreendeu o mercado ao reportar a redução de 1% em sua estimativa para a área de soja na safra 2012/13 nos Estados Unidos, enquanto os traders apostavam em um aumento do espaço destinado à oleaginosa, de aproximadamente 0,7%. 

Caso essa área se confirme, as condições climáticas terão de ser bastante favoráveis para assegurar uma safra cheia. "Com uma área tão pequena quanto a anunciada, precisaremos de uma primavera e verão quase perfeitos aqui nos EUA para poder abastecer a demanda mundial sem comprometer os estoques para o final de safra aqui.Com a quebra na América do Sul, a pressão está quase toda sobre o mercado norte-americano para suprir a demanda mundial a partir de julho ou agosto deste ano", explicou o analista de mercado Pedro Dejneka, da PHDerivativos, direto de Chicago. 

No caso do milho, o foco da alta do mercado foram as informações sobre a safra velha, ou seja, o ciclo 2011/12. Os estoques trimestrais foram reduzidos e vieram abaixo das expectativas do mercado, o que estimulou as cotações nesta sexta-feira. Os primeiros vencimentos fecharam o dia no limite de alta de 40 pontos, ou próximos dele. "Os estoques de milho vieram abaixo do esperado e isso forçou o spread entre julho e dezembro para novas altas", disse Dejneka. 

Por outro lado, o USDA reportou um expressivo aumento da área de plantio do cereal, o que poderia pressionar o mercado já que trata-se de uma fator de bastante pressão. No entanto, de acordo com analistas, a disparada dos preços da soja em função da redução da área pode ter dado suporte ao mercado vizinho. 

Trigo - Os futuros do trigo negociados na Bolsa de Chicago seguiram os mesmos passos da soja e do milho e também explodiram na CBOT. O grão refletiu, assim como os demais, os números altistas do relatório divulgado hoje pelo USDA. 

De acordo com o boletim, a estimativa para a área destinada ao trigo sofreu uma redução mais severa do que o esperado pelo mercado e estimulou a forte alta das cotações nesta sexta-feira. 

*Acompanhe o analista Pedro Dejneka pelo Twitter:  http://twitter.com/phderivativos

Veja como ficaram as cotações no fechamento desta sexta-feira:



Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário