Soja sucumbe à realização de lucros e fecha em queda. Milho encerra no misto

Publicado em 03/04/2012 16:32 1461 exibições
Dia de volatilidade no mercado internacional da soja. Nesta terça-feira, os futuros da oleaginosa negociados na Bolsa de Chicago fecharam o pregão noturno no vermelho, abriram a sessão regular com leves baixas, passaram a operar em território positivo - com altas superiores a 10 pontos - porém, fecharam o dia em queda, sucumbindo à realização de lucros. 

Outro motivo que pressionou os preços no pregão de hoje foi o mercado financeiro e as preocupações com a dívida da Espanha. As principais bolsas de valores da Europa fecharam o dia em queda, com dados pesando principalmente sobre o setor bancário. Esse viés negativo acabou pesando para o fechamento negativo em Chicago. 

Nas últimas sessões, a soja alcançou o maior patamar de preços em sete meses por conta do ajustado quadro de oferta e demanda. A quebra na produção da América do Sul e mais a estimativa de redução da área de plantio nos EUA na próxima safra anunciada pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) vem dando sustentação ao mercado, no entanto, essa ligeira devolução de parte dos ganhos é natural, como explicam analistas. 

Hoje, a Bolsa de Grãos de Rosário confirmou essa oferta restrita da soja sulamericana, reduzindo novamente, agora em 1,4 milhão de toneladas, sua estimativa para a produção da Argentina, que deve ser de 43,1 milhões de toneladas. 

No entanto, assim como a realização de lucros já era prevista, novas altas também são. "Qualquer baixa será rapidamente comprada", disse o analista de mercado Pedro Dejneka, da PHDerivativos, direto de Chicago, referindo-se a todos os participantes do mercado. "Tem bastante gente altista no mercado da soja neste momento", completou. 

Como explicou Dejneka, o mercado está bastante nervoso e ansioso a espera de algumas definições sobre a próxima safra norte-americana, porém, essa volta das altas também já estava prevista. "Está tudo dentro do esperado". Além disso, a soja ainda tenta ganhar um pouco mais de área do milho e isso também estimula o mercado, uma vez que preços mais atrativos poderiam mudar as opções dos produtores. 

No mercado do milho, os negócios se mantiveram em campo misto. Os contratos mais próximos ainda encontraram sustentação nos dados de estoques trimestrais norte-americanos menores do que o esperado reportados pelo USDA na última sexta-feira. 

Por outro lado, os vencimentos mais distantes já sentem a pressão negativa de que caso se confirmem os números divulgados pelo departamento norte-americano, o milho deverá ter, na safra 2012/13, a maior área de plantio desde 1937. 

Veja como ficaram as cotações no fechamento desta terça-feira:



Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário