Soja: Mercado sente pressão da alta do dólar e do plantio nos EUA

Publicado em 22/05/2012 11:00 e atualizado em 22/05/2012 11:55 2268 exibições
A alta do dólar e o bom desempenho do plantio da soja nos Estados Unidos pressionam as cotações na Bolsa de Chicago nesta terça-feira (22). Ontem, as cotações registraram boas altas focando os fundamentos de oferta e demanda, que continuam positivos. 

Em um boletim divulgado ontem, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) reportou o plantio da soja no país já concluído em 76% da área até o último dia 20 de maio. No mesmo período do ano passado, esse índice era de 35% e a média dos últimos cinco anos é de 42%. 

No mercado financeiro, o dólar continua sua firme trajetória de alta, retomando o caminho positivo. No início dos negócios desta terça, a moeda norte-americana chegou a recuar, porém, o movimento foi rápido e pouco expressivo. Por volta das 10h34 (horário de Brasília), o dólar avançava 0,34%, cotado a R$ 2,0533 na venda.

Segundo analistas, o clima nos mercados ainda é de muita incerteza e expectativa. Previsto para acontecer nesta quarta-feira, o encontro de líderes da União Europeia está trazendo ainda mais ansiedade e, por outro lado, cautela, aos investidores. 

Outro fator que poderia pressionar os preços da oleaginosa em Chicago são as informações de que a China enfrentará momentos de oferta excedente em breve, fazendo com que as importações possam ser reduzidas nos próximos meses.

O analista de mercado da corretora Maike Futures, Ma Feng, afirmou que "o movimento de compras do exterior foi intenso nos primeiros quatro meses do ano e, com isso, a tendência do intervalo de curto prazo deve continuar". 

Por conta disso, os futuros da soja negociados na Bolsa de Dalian encerraram o dia em baixa hoje, em uma sessão de poucos negócios. Vendas pressionaram os preços por conta desse enfraquecimento do mercado e das perspectivas de oferta excedente. 
Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário