Clima seco nos EUA confere mais um pregão de alta para os grãos

Publicado em 02/07/2012 15:22 e atualizado em 02/07/2012 17:14 2282 exibições
Liderados pelo milho, os futuros dos grãos negociados na Bolsa de Chicago continuam subindo na Bolsa de Chicago e fecharam com boas altas nesta segunda-feira. O cereal fechou o dia com altas superiores a 20 pontos nos principais vencimentos. A soja e o trigo também ficaram do lado positivo da tabela, porém, vinham devolveram parte dos expressivos ganhos registrados mais cedo. A oleaginosa, no entanto, conseguiu retomar parte do fôlego.  

A situação climática nos Estados Unidos continua caótica e bastante desfavorável para para o bom desenvolvimento das lavouras de grãos no país. Diante disso, como informou a consultoria PHDerivativos, de Chicago, a agência CropCast, que faz estimativas baseadas em imagens de satélites e previsões meteorológicas reduziu seus números para a produtividade norte-americana, prevendo 40,6 bushels por acre para a soja e 150,6 bushels para o milho. 

"A agência defende que estas previsões são baseadas não somente no estrago já causado, mas no estrago que SERÁ causado nas próximas duas semanas, já que a previsão é de continuidade da tendência atual de forte calor e chuvas esparsas", diz o analista Pedro Dejneka, da PHDerivativos. 

A tendência, daqui para frente, é de que essas estimativas de agências privadas e governamentais continuem caindo enquanto o clima não reverter essa situação de calor intenso e falta de chuvas suficientes. 

O mercado em Chicago está muito atento à toda e qualquer notícia ou movimentação do clima. O calor segue acima do normal, as lavouras se defendem, como disse Dejneka, e os preços continuam refletindo essa possibilidade de uma oferta menor de milho e ainda mais escassa de soja. 

Caso haja uma correção dos preços causada por uma realização de lucros ou movimentos similares por conta de chuvas pontuais, os investidores irão encará-la como uma oportunidade de compra até que o clima se "torne mais amigável", explica o analista. 

A demanda pela oleaginosa norte-americana continua aquecida e é outro fator de sustentação para os preços. Nesta segunda (2), o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) anunciou a venda de 1,19 milhão de toneladas de soja da safra 2012/13 para destinos desconhecidos. "Me parece que, cada vez mais, quem pode adiantar suas compras quanto a safra nova o está fazendo. A situação é realmente complicada no momento", alerta Dejneka.

Confira como ficaram as cotações dos grãos nesta segunda-feira:



Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário