Grãos: Colheita nos EUA avança e pressiona mercado em Chicago

Publicado em 24/09/2012 11:40 1630 exibições
A semana começou negativa para os grãos negociados na Bolsa de Chicago e, mais uma vez, quem lidera as perdas é a soja. Nesta segunda-feira, por volta das 10h40 (horário de Brasília), os futuros da oleaginosa operavam com perdas de dois dígitos, caindo mais de 16 pontos nos principais vencimentos. O milho e o trigo também operam em campo negativo. 

Os investidores continuam liquidando suas posições vendidas em um intenso movimento de realização de lucros que se estende para a segunda semana. Como explica Steve Cachia, analista de mercado da Cerealpar, o mercado continua recuando diante do avanço da colheita norte-americana. "Os preços continuam cedendo com a pressão sazonal da disponibilidade maior do produto novo. Houve um "estrago técnico" (com quedas exageradas) e agora o mercado irá demorar um pouco para voltar a reagir rapidamente", disse. 

Nos últimos meses, tanto a soja quanto o milho registraram expressivas altas na Bolsa de Chicago, chegando a bater preços recordes em função da quebra da safra 2012/13 dos Estados Unidos. A oferta escassa de soja em tempos de uma demanda extremamente aquecida fez as cotações reigistrarem patamares históricos. Agora, com a entrada da produção norte-americana, mesmo com quebra, o mercado devolve parte dos expressivos ganhos de junho, julho e agosto. 

No entanto, em breve as atenções do mercado deverão se voltar para a produção da América do Sul. O mercado vai se atentar ao início do plantio no Brasil, na Argentina e no Paraguai, onde espera-se que, as safras sejam recordes. Esse começo, que já conta com algumas chuvas importantes para o processo,  também pressiona as cotações no mercado internacional.

Paralelamente, há analistas ainda que afirmam que o delicado e incerto cenário financeiro mundial também pesa sobre o mercado neste início de semana. 
Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário