Soja: Clima na América do Sul e demanda aquecida sustentam altas na CBOT

Publicado em 22/01/2013 18:09 e atualizado em 23/01/2013 00:17
1546 exibições
Após o feriado de Martin Luther King celebrado nesta segunda-feira (21) nos EUA, hoje (22) os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago encerraram o pregão eletrônico com altas de mais de 20 pontos nos principais contratos. Durante todo o dia as cotações da oleaginosa trabalharam do lado positivo da tabela.

A expressiva elevação nos preços é sustentada, segundo os analistas, pela situação climática na América do Sul e a demanda que permanece aquecida. O operador de mesa, Flávio Oliveira, explica que a previsão de clima seco para o Sul do país e Argentina nas próximas duas semanas, assim como, as chuvas no Mato Grosso que atrasam a entrada da soja no mercado pressionaram positivamente as cotações.

Além disso, a demanda aquecida pela soja norte-americana, principalmente, por parte da China, em tempos de estoques ajustados, também contribui para a formação desse quadro. Nesta terça-feira (22) o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) anunciou a venda de 120 mil toneladas de soja para a China para serem entregues na temporada 2013/14.

Ainda hoje, o órgão também divulgou que na semana terminada no dia 17 de janeiro, as exportações semanais de soja dos EUA somaram 1.31 milhão de toneladas. No mesmo período de 2012, o número era de 990 mil toneladas. 

Entretanto, apesar do cenário firme, o operador destaca que esse é um movimento pontual do mercado e é preciso lembrar que a previsão para a safra brasileira é de mais de 83 milhões de toneladas de soja. Então, temos que ficar atentos uma vez que o mercado pode sofrer uma pressão baixista nas cotações em função da entrada das safras tanto do Brasil como da Argentina no mercado nos próximos meses, afirma Oliveira. 

Veja como ficaram as cotações no fechamento desta terça-feira (22) na Bolsa de Chicago: 

Tags:
Por: Fernanda Custódio
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Douglas Gehrke Capitão Leônidas Marques - PR

    Bom, a colheita da soja do cedo está sim acontecendo, mas a produção está menor que o esperado, e isso não é somente aqui na nossa região, vejo vários produtores de outras regiões comentando isso. A soja que foi plantada em meados de setembro e inicio de outubro passou por uma estiagem de mais de 20 dias justamente no período da floração, o que acabou comprometendo a produção. Os produtores que estão colhendo essa soja dizem que a produção está em média de 50 sacas por hectare, bem abaixo das 66 sacas esperadas para a mesma areá. Alem disso nossa região está passando por mais um período de estiagem, justamente na segunda floração e enchimento de grãos das lavouras que foram plantadas em meados de outubro e inicio de novembro, o que já está preocupando os produtores. Sem contar que o milho safrinha está sendo plantado e não temos previsão de chuvas a curto prazo, o que já levou produtores a cancelar os pedidos de sementes e adubo para a safrinha de milho, pois a cada dia que passa o risco fica maior e o prejuízo pode ser inevitável.

    0