Soja fecha 2ª feira em baixa na CBOT ainda realizando lucros

Publicado em 11/02/2013 19:31
789 exibições
A soja fechou a sessão desta segunda-feira (11) com expressiva baixa na Bolsa de Chicago. O mercado internacional continuou a realização de lucros em seus principais vencimentos ainda refletindo o relatório morno do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), que não trouxe nenhum novidade no quadro fundamental, e também o possível retorno das chuvas ao Sul do Brasil e à Argentina. 

"Foi um relatório muito morno, o mercado esperava um corte maior na produção da Argentina já que por lá se fala em algo em torno de 48 a 50 milhões de toneladas e para o Brasil o USDA seguiu a Conab estimando 83,5 milhões de toneladas", explica Daniel D'Ávilla, analista de mercado da corretora New Edge, de Nova York. 

Como explicou D'Ávilla, o mercado ainda se foca nas condições climáticas da América do Sul e o recuo registrado nesta segunda-feira, portanto, também se deu em função dessas novas previsões indicando precipitações para importantes regiões produtoras tanto argentinas quanto brasileiras. 

Além disso, o analista salienta ainda que após o significativo avanço dos preços nas últimas semanas - em janeiro, a soja chegou a subir US$ 1,50 - a realização de lucros por parte dos investidores é um movimento natural do mercado. Entretanto, essa liquidação dos contratos não altera o quadro fundamental do mercado internacional que ainda conta com uma demanda muito aquecida e a oferta preocupantemente ajustada.

"O fundamento mais significativo fica por conta da reduzida oferta americana, que atualmente já vendeu 93,5% dos seus excedentes exportáveis de soja, restando apenas 2.4 milhões de toneladas para serem negociadas para exportação, volume que fora projetado para ser consumido até de 31 de agosto de 2013. Indiscutivelmente, os americanos não terão produtos (soja e derivados) para atender à demanda mundial, que historicamente concorre com os embarques de soja sul-americana até a entrada da próxima safra americana de soja, ou seja, setembro e outubro de 2013", explica o consultor de mercado Liones Severo. 

Veja como ficaram as cotações dos grãos no fechamento desta segunda-feira (11)




Clique no link abaixo e confira a íntegra do artigo do consultor de mercado Liones Severo:

Tags:
Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Vilson Ambrozi Chapadinha - MA

    Quando tudo está normal,funcionando,o mercado age assim:O estoque de um país produtor está enxuto o prêmio sobe e o comprador corre para outro produtor que não havendo escassês vende por preço menor. O caso da soja hoje é assim.Os EUA já exportaram praticamente tudo que planejavam,colocam prêmio alto o comprador que comprava da mão pra boca corre pra américa do sul,por que disseram a ele que aqui obteve-se uma p,,, safra e encontra na sua frente 140 navios,e um tempo de 50 a 60 dias pra carregar,então volta pra onde a fila não existe e paga o que pedirem( EUA)e aí virá a loucura porque chicago fica lá.Quando junho ou julho chegar os consumidores americanos ,terão que compra-la de volta e a coisa se repetirá por aqui. Não existirá por um tempo concorência,e sim um fornecedor unico por um período.

    0