CBOT: Em véspera do USDA, investidores buscam melhor posicionamento

Publicado em 07/03/2013 10:13 e atualizado em 07/03/2013 15:31 1003 exibições
Na sessão desta quinta-feira (07) os preços futuros da soja operam com volatilidade na Bolsa de Chicago. As cotações que já trabalharam do lado negativo da tabela, avançaram ao longo das negociações e exibem pequenos ganhos. Por volta das 15h28 (horário de Brasília) o contrato março/13 conseguiu ultrapassar o patamar de US$ 15/bushel, e registrava US$ 15,02/bushel. 

O diretor da CentroGrãos, João Birkhan, destaca que os investidores buscam um melhor posicionamento frente ao relatório de oferta e demanda do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) que será divulgado amanhã (08). A expectativa do mercado internacional é que o órgão reduza os números dos estoques finais de soja nos EUA.

Com o apagão logístico no Brasil, a oferta brasileira não consegue chegar com a velocidade necessária para atender a demanda mundial.  “Em muitas regiões o valor do frete passou de R$ 200 para R$ 300, as filas de caminhões nos portos ultrapassam os 20 km, e os navios estão esperando há mais de 60 dias para carregar. A situação é muito grave”, explica o diretor.

E a tendência é que esse quadro se agrave, caso o Brasil consiga produzir uma grande safrinha de milho que gere um excedente exportável, segundo acredita o diretor. “O milho ainda pode perder o valor no mercado interno, devido a esse problema de escoamento da safra”, diz.

Diante desse cenário, muitos países importadores, principalmente a China, têm preferido buscar soja em destinos com entrega mais rápida, como é caso dos Estados Unidos. E mesmo com os baixos estoques do país, as exportações do grão norte-americano permanecem em ritmo acelerado.

Além disso, o diretor sinaliza que os números da safra sulamericana não exercem mais tanta influência nos preços futuros, já que, o mercado de commodities agrícolas observa no momento a ineficiente logística brasileira. Ainda na manhã desta quinta-feira, a Conab (Companhia Nacional do Abastecimento) divulgou o sexto levantamento de safra, indicando que a produção de soja no país deve alcançar 82,06 milhões de toneladas. 

“Acredito que o número deve ser bem próximo desse, a quebra na produção talvez seja maior, em função das adversidades climáticas. Porém, os números não devem ser tão diferentes dos divulgados hoje”, relata Birkhan. 
Tags:
Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário