Soja: Mercado intensifica perdas com gripe aviária na China

Publicado em 05/04/2013 16:28 e atualizado em 08/04/2013 07:43 2156 exibições
Os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago fecharam em queda nesta sexta-feira (5). O mercado teve uma semana bastante negativa, perdendo importantes patamares de preços no cenário internacional. O contrato maio/13, referência para a safra brasileira, terminou os negócios a US$ 13,61/bushel, recuando 10,25 pontos. 

Os preços da soja em Chicago vêm recuando expressivamente desde o reporte do relatório de estoques trimestrais em que o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulgou, na última quinta-feira (28), estoques maiores do que os previstos pelo mercado. Segundo analistas, até a sessão dessa sexta-feira as cotações sentiram o impacto negativo. 

No entanto, o recuo foi agravado pelas notícias sobre a gripe aviária na China, que já registrou 14 casos e a morte de seis pessoas. Com isso, as autoridades agrícolas em Xangai já ordenaram o abate de aves no país em larga escala. As informações exercem uma pressão negativa nos preços já que as importações chinesas de farelo e do grão de soja poderiam ser comprometidas frente a um menor consumo de carnes pela população local. 

"Isso influi na psicologia do mercado em Chicago, pois na última vez em foi registrada tal epidemia na China - 2004/2005 -, o consumo de carne de aves caiu entre 40 e 50%. Então, qualquer tipo de notícia que irá falar em uma possível redução da demanda chinesa para a soja, que é alimento para aves, complica e o mercado está sensível a essa situação", segundo explica o analista de mercado Pedro Dejneka, da PHDerivativos. 

Porém, o mercado ainda sente a necessidade de conhecer qual será o real impacto desse problemas para os preços. "O mercado está trabalhando com um conceito de incerteza razoável agora, sem saber qual a extensão do problema", afirma Vinícius Ito, analista da corretora de Jefferies, de Nova York. 

Para Ito, esse expressivo recuo da soja registrado nessa semana foi resultado de um movimento do mercado precificando uma pressão adicional pelas informações sobre a gripe aviária. Afinal, os números de estoques reportados pelo USDA não teriam sido suficientes para promover a baixa de US$ 1 nos preços da última semana até hoje. Sendo assim, ao que passo que o mercado vai conhecendo a extensão do problema, é possível que as cotações mostrem algum ajuste. 

Paralelamente, a soja deverá continuar passando por essa oscilação de preços em Chicago no início da próxima semana, haja vista que o USDA divulga um novo relatório na quarta-feira (10), nesse caso o mensal de oferta e demanda. A atenção dos investidores deverão se voltar para os dados sobre os estoques finais nos EUA e também nas exportações norte-americanas. 

Clique no link abaixo e confira a entrevista de Vinícius Ito:

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário