Soja na Semana: Mercado interno tem comercialização lenta e pouca variação de preços

Publicado em 12/04/2013 14:48 904 exibições
Os preços da soja no mercado interno brasileiro não registraram mudanças muito significativas nessa semana. A comercialização segue acontecendo em ritmo lento, e os maiores volumes negociados ficaram entre Rio Grande do Sul, no disponível, e em Goiás, no mercado futuro. A pouca expressividade na oscilação dos valores se deu com uma pressão negativa vinda da desvalorização do dólar e, por outro lado, a pressão positiva com o início de uma recuperação dos preços na Bolsa de Chicago. 

Na praça de Passo Fundo/RS, foi registrada uma retração de R$ 56,50 para R$ 55,50 por saca. Já em Rondonópolis/MT, houve um aumento de R$ 46 para R$ 46,50/saca. Em Cascavel/PR, Dourados/MS e Rio Verde/GO, os preços ficaram estáveis em R$ 54, R$ 48 e R$ 49, respectivamente.  

No mercado internacional, a semana foi de intensa volatilidade - acentuada pelos novos números de oferta e demanda do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulgados na quarta-feira (10). Os dados surpreenderam ao apresentar uma manutenção dos estoques norte-americanos em 3,4 milhões de toneladas. A estimativa ficou aquém do esperado pelo mercado e acabou permitindo uma recuperação das cotações em Chicago. 

O quadro, portanto, faz com que o foco dos investidores se volte novamente aos fundamentos, que permanecem positivos. "Volta à tona a questão de como os Estados Unidos vão fazer até setembro quando começa a entrar a soja da nova safra. Provavelmente, eles não terão condições de atender a demanda externa e interna na mesma magnitude que é exigida. Eles deverão entrar, em algum momento, em um racionamento do produto e isso pode provocar um aumento dos preços", explicou o analista de mercado Steve Cachia, da corretora Cerealpar. 
Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário