Publicidade

CBOT: Grãos realizam lucros na manhã desta quarta-feira

Publicado em 15/05/2013 08:03 e atualizado em 15/05/2013 10:16 1636 exibições

Na manhã desta quarta-feira (15), os futuros dos grãos negociados na Bolsa de Chicago encerraram o pregão eletrônico do lado negativo da tabela. As principais posições da soja, fecharam a sessão com perdas entre 2,25 e 7,75 pontos. As cotações do milho e trigo também recuaram com baixas entre 4,50 e 7,25 pontos na CBOT.

Segundo analistas, o mercado perde um pouco da sua direção a espera de uma definição do clima nos Estados Unidos, que continua adverso em várias regiões produtoras, mas já um pouco melhor em outras. 

Veja como fechou o mercado nesta terça-feira (14):

Grãos: Indefinição sobre o clima nos EUA faz mercado fechar no misto

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago fecharam a sessão desta terça-feira (14) em território misto. Apenas o primeiro vencimento, julho/13, terminou o dia do lado negativo da tabela, com uma leve baixa de 4,50 pontos. As demais posições encerraram os negócios com altas entre 1,25 e 5 pontos. O pregão foi de expressiva volatilidade. 

O principal fator de suporte para os preços da soja no mercado internacional continua sendo a ajustada oferta disponível e da demanda muito aquecida pelo produto norte-americano. Com a disponibilidade da soja cada vez mais limitada, esmagadores locais disputam a oleaginosa com os importadores. 

Sendo assim, segundo analistas, a tendência é de que essa sustentação puxe os contratos de mais curto prazo, refletindo diretamente nos mais mais distantes. Isso deve acontecer também com o mercado aguardando por definições mais concretas sobre a nova safra dos Estados Unidos. 

Publicidade

O plantio dos grãos ainda continua muito atrasado por conta do clima desfavorável e, por isso, o foco do mercado está voltado para as novas previsões climáticas para o país, já que a janela ideal para a semeadura se aperta a cada dia que passa. 

“Deveremos ter nas próximas semanas bastante volatilidade, em função das previsões climáticas, e por mais que as condições sejam favoráveis ao plantio agora, estamos vendo alguns institutos de meteorologia indicando chuvas a partir do próximo dia 18 no Centro-Oeste do país, portanto, existe a possibilidade de voltar a ter problemas no ritmo da semeadura, o que deve deixar o mercado nervoso”, explicou o analista de mercado Steve Cachia, da Cerealpar. 

De acordo com informações da agência internacional Reuters, até as chuvas devem se intensificar no Meio-Oeste dos EUA nesse final de semana e uma boa oportunidade para o avanço do plantio só viria no final deste mês de maio. 

Frente a essas indefinições sobre o clima, que já faz com que o plantio registre o ritmo mais lento desde 1984, o mercado do milho e do trigo operaram durante toda a sessão sem um direcionamento definido. O milho, assim como a soja, fechou o dia no misto, com apenas o vencimento setembro em alta. No trigo, as principais posições fecharam com ligeiras altas ou sem variação. 

Segundo o produtor rural norte-americano e vice chairman da Illinois Soybean Association Bill Raben, ainda é impossível dar continuidade aos trabalhos de campo no sudeste do estado. "Nós estamos incapacitados de plantar por conta das chuvas contínuas". Porém, no norte e no centro de Illinois, de acordo com Raben, os produtores conseguiram registrar um avanço e alguns até mesmo conseguiram finalizar o plantio, porém, trata-se de minoria. 

Para os próximos três dias, a previsão para o sudeste de Illinois é de chuvas esparsas e tempestades. "Nós esperamos perder esse momento. E de um modo geral, o plantio está atrasado por aqui", disse Raben. 

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário