Grãos: Mercado opera com leve queda na CBOT na manhã desta 5ª

Publicado em 06/06/2013 09:00 e atualizado em 06/06/2013 10:16 1281 exibições

Nesta quinta-feira (6), os futuros da soja encerraram o pregão eletrônico em baixa na Bolsa de Chicago. Na sessão de hoje, o mercado deu continuidade à um ligeiro recuo apresentado ontem nos vencimentos mais distantes. Os principais contratos da commodity exibiram perdas entre 3,00 e 5,75 pontos. Além disso, como explicou o consultor da Brandalizze Consulting, Vlamir Brandalizze, faltam informações e notícias novas e importantes que possam dar mais fôlego ao mercado neste momento.

No mercado do milho, apenas o vencimento julho fechou a sessão do lado negativo da tabela, os demais contratos apresentaram ganhos entre 2,50 e 2,75 pontos. Já os futuros do trigo registraram leves recuos na CBOT.

No entanto, apesar das baixas registradas hoje pela soja, o mercado no curto prazo ainda encontra sustentação na pouca oferta e na demanda muito intensa pela oleaginosa norte-americana. A falta de produto ainda confere ao mercado o papel de racionar essa demanda por meio de preços mais altos, como vem sendo explicado por analistas. 

Veja como terminou o mercado nesta quarta-feira:

Soja: Preço da saca bate R$ 71 no Porto de Rio Grande nesta 4ª feira

A soja fechou a sessão desta quarta-feira (5) em terreno misto na Bolsa de Chicago. Os vencimentos mais próximos, julho e agosto/13, encerraram o dia do lado positivo da tabela, ainda sustentados na falta de soja nos Estados Unidos e da demanda aquecida no país, não só para exportação, mas também para atender o mercado interno. 

Esse tem sido o principal fator de alta para os preços no curto prazo, como explicou Vlamir Brandalizze, consultor da Brandalizze Consulting. Frente a isso e, mesmo com oscilações pouco expressivas, as posições mais próximas conseguiram bater nos seus melhores patamares em sete meses. Ainda de acordo com Brandalizze, o pregão desta quarta-feira foi mais calmo, com pouco volume de negócios, diante da falta de novidades que pudessem impulsionar as cotações com mais intensidade. 

"Nesse mercado de curto prazo, os preços continuam firmes, mesmo que hoje tenha subido somente 3 pontos, mas não temos grandes ofertas. O mercado até poderia ter subido um pouquinho mais, mas os traders e produtores argentinos entraram vendendo um pouco mais de soja hoje, aproveitando as boas cotações que têm sido praticadas, e com isso acabaram limitando um pouco o ganho da soja que a gente considera disponível", explicou Brandalizze. 

O consultor completa dizendo que faltam informações e notícias novas e importantes que possam dar mais fôlego ao mercado neste momento.

No mercado interno, o volume de negócios também não foi grande, porém, foram registrados bons preços nos portos brasileiros. Em Paranaguá, a saca de soja bateu os R$ 65,00 e, em Rio Grande, o valor foi de R$ 71,00. Em importantes praças de comercialização da oleaginosa, o preço também registrou valorização. 

Em Dourados/MS, a saca de soja permaneceu em R$ 59,00, em Cascavel/PR, passou de R$ 63 para R$ 63,50 e em Passo Fundo/RS se manteve em R$ 67,50. Já em Rondonópolis/MT, a oleaginosa exibiu um leve recuo, passando de R$ 59,00 para R$ 58,50. 

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário