Lavouras de soja e milho nos EUA ainda enfrentam desafios com o clima, diz Macquarie

Publicado em 26/07/2013 13:54
1367 exibições

O banco Macquarie advertiu contra o excesso de otimismo sobre a produção de milho e soja dos EUA, mesmo com os preços das culturas mostrando sinais de recuperação no final desta semana, após atingirem as piores cotações para a soja nos últimos 4 anos.

O banco, seguindo uma pesquisa de agricultores do meio-oeste norte-americano e de agentes de seguro de lavoura, informou uma melhora nas perspectivas para a colheita de 2013, com a promessa de uma grande safra. No entanto, segundo o analista do Macquarie, Chris Gadd, os rendimentos parecem estar cada vez mais perto, mas ainda sem alcançar os níveis de tendências históricas.

O banco prevê uma produção de milho abaixo das 168,27 sacas por hectare sugeridas pelo USDA (Departamento de Agricultura dos EUA) e um resultado para soja também inferior as 50,45 sacas por hectare estimadas pelo USDA.

Essa avaliação reflete observações que, enquanto as áreas do leste norte-americano estão em boas condições em termos de umidade do solo, o oeste do país precisa de mais chuvas.

Em Iowa, um dos maiores estados produtor de milho e soja, situado no oeste do cinturão do milho, as culturas começaram mal, com um pouco de stress no milho plantado mais cedo devido ao calor e ao tempo seco no início deste mês. “Porém, chuvas de fim de semana têm proporcionado um certo otimismo", diz Gadd.

Mais ao norte do cinturão, a soja está crescendo lentamente e com uma altura abaixo da desejada. "Há muita soja em Iowa que parece patética, com poucos centímetros de altura, folhas amareladas, crescimento bastante lento ou atrofiado, e, obviamente, em condições terríveis”, afirma o olheiro de lavouras, Michael Cordonnier.

 “Em Nebraska, a soja precisará de mais chuvas, já que a altura das plantas está menor do que a média para essa época, enquanto mais ao leste, em Michigan, a soja tem sido ferida por fortes chuvas e pode ter dificuldade para alcançar o rendimento médio. Em Ohio, a cultura da soja também está sofrendo com muita água, apesar dos campos de milho terem boa aparência, e, no estado vizinho, Indiana, há uma previsão bastante otimista de rendimentos atingindo 232,85 sacas por hectare”, diz Gadd.

O banco Macquarie prevê a produtividade da soja em 47,85 sacas por hectare, acima da estimativa do ano passado, com 44,9 sacas por hectare, mas abaixo da previsão do USDA de um recorde de 50,45 sacas por hectare.

Para o milho, Macquarie prevê um rendimento de 165,95 sacas por hectare, um pouco acima das 165,65 sacas por hectare da estimativa do USDA, porém, abaixo de algumas recentes previsões mais otimistas.

Esta semana, o ‘Commodity Weather Group’ estimou a produção de milho dos EUA em 168,82 sacas por hectare, acrescentando que se as projeções de chuva ocorrerem, o potencial de produção pode aumentar ainda mais frente à falta de calor significativo.

Com informações do site internacional Agrimoney. 

Tags:
Por: Paula Rocha
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário