Funcafé fecha com mais seis bancos para transferência de recursos

Publicado em 20/08/2013 17:19 e atualizado em 20/08/2013 19:04
568 exibições

Mais seis bancos assinaram com o Departamento do Café, vinculado à Secretaria de Produção e Agroenergia do Ministério da Agricultura, para os repasses das linhas de crédito do Funcafé (Fundo de Economia da Defesa Cafeeira). Os bancos são Banco Original, Bicbanco, Itaú BBA, Rabobank, Ribeirão Preto e Votorantim e as informações foram divulgadas no Diário Oficial desta terça-feira (20). Os outros dois bancos que também já têm seus contratos fechados são o PNB e bancoob. 

Até esse momento, apenas oito dos 26 agentes financeiros que repassam recursos da linha de crédito assinaram contratos. As assinaturas estão "atrasadas" em relação ao ano passado, quando foram efetivadas em meados de junho, quando a colheita ainda estava começando no Brasil. Este ano, os contratos foram fechados com mais da metade da safra já colhida. 

Com os contratos atualmente assinados, o Funcafé traz mais R$ 960,756 milhões dos R$ 3,14 bilhões previstos pelo governo para esta safra. São R$ 445,23 milhões para estocagem, R4 187,589 milhões para custeio e mais R$ 116,261 milhões. 

No total de capital de giro das empresas da cafeicultura, o valor é de R$ 211,633 milhões, sendo R$ 113,179 milhões para cooperativas, R$ 55,2 milhões para torrefação e R$ 43,254 milhões para indústrias de solúvel. 

O contrato do Itaú BBA é de R$ 242,165 milhões, sendo R$ 76,9 milhões para estocagem e R$ 37,523 milhões para aquisições de café. Serão ainda R$ 40 milhões para as torrefações, R$ 16,599 milhões para as indústrias de solúvel e R$ 71,134 milhões para as cooperativas dos recursos para capital de giro. 

O repasse do Votorantim será de R$ 185,739 milhões, sendo R$ 116,462 para estocagem e R$ 56,821 milhões para aquisição. Para capital de giro, o volume será de R$ 7,456 milhões irão para as indústrias de solúvel e R$ 5 milhões para as torrefações.

No caso do Rabobank, o contrato é de R$ 95,708 milhões do Funcafé, sendo R$ 46 milhões para estocagem; R$ 22,514 milhões para aquisição de café e R$ 27,049 milhões para custeio. 

O Banco Original deverá repassar R$ 12,901 milhões do Funcafé, sendo R$ 8,665 milhões para estocagem, R$ 12,707 milhões para aquisição de café e R$ 8,677 milhões para custeio das lavouras. O Original também repassará R$ 5 milhões para capital de giro das torrefações e R$ 12,901 milhões das cooperativas de produção.

O repasse do Bicbanco será de R$ 72,080 milhões, sendo R$ 29,566 milhões para estocagem e R$ 13,937 milhões para aquisição de café. Do volume destinado para capital de giro, serão destinados R$ 14,567 para indústrias de solúvel; R$ 5 milhões para torrefação e R$ 10,010 milhões para cooperativas de produção.

No caso do Banco Ribeirão Preto, o contrato é de R$ 20,111 milhões, sendo R$ 8,790 milhões para estocagem; R$ 4,236 milhões para aquisição café; R$ 2,603 milhões para custeio e R$ 4,482 milhões para capital de giro das indústrias de solúvel.

Confira, abaixo, tabela com a destinação dos recursos do Funcafé, na safra 2013, até agora.

Tags:
Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário