Grandes produtores seguram vendas de soja e milho nos EUA

Publicado em 29/08/2013 17:54 e atualizado em 13/09/2013 13:01
1097 exibições

Os muitos anos de safras lucrativas deixaram produtores americanos com capital suficiente para atrasar as vendas de milho e soja, segundo o site AGprofessional. A estratégia pode ser uma má notícia para as empresas de alimentos, de ração e os exportadores, que esperam uma abundância de preços baixos para o grão depois das colheitas deste ano. 

Enquanto o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) prevê safras cheias para soja e milho no outono americano, os produtores com maior capital têm estoques suficientes nas fazendas para esperar melhores pagamentos, até que os preços fiquem mais altos. 

“O produtor americano nunca esteve em uma situação financeira melhor na história da agricultura”, informou Tom Grisafi, presidente do serviço de consultoria agrícola Trade The Farm LLC. “Eles têm muito dinheiro e também têm o maior estoque já registrado”.

Um indicador de que a venda pós-colheita deve ser lenta é a queda dos negócios pré-colheita. Os produtores geralmente vendem uma parte de suas safras alguns meses antes de começar as colheitas, mas este ano as vendas estão lentas.

“O que nós estamos testemunhando é o registro da menor quantia de grãos já vendida pelos produtores”, informou Joe Christopher, um negociador de grãos da Crossroads Co-Op, em Sidney, estado de Nebraska, referindo-se aos negócios para o milho e para a soja que serão colhidos este ano nos EUA.

As compras comerciais de grãos para as próximas colheitas estão em média 20% abaixo do normal para esta época do ano, disse Christopher. 

“O fator riqueza está em jogo”, ele conta. “Eles tiveram ótimos resultados em três dos últimos quatro anos. Os produtores estão provavelmente em uma melhor situação financeira do que jamais estiveram”.  

Embora a seca do ano passado, que foi a pior nos Estados Unidos desde 1930, tenha diminuído a produtividade, ela também fez com que os preços da soja atingissem preços recordes. Então, esses produtores de sorte, que puderam colher seus grãos, foram muito bem pagos por ele.    

Previsões para este ano
Ainda este ano os produtores devem se sair bem. O USDA prevê a renda agrícola de 2013 em 120,6 bilhões de dólares, o que é 6% acima do que foi registrado no ano passado e é o melhor registro nos últimos 40 anos, considerando a inflação.

As últimas previsões de colheita do USDA indicam uma safra de milho de 349,6 milhões de toneladas, 28% acima da safra de 2012; e uma safra de soja de 88,5 milhões de toneladas, número 8% acima de 2012. 

Safras tardias atrasam vendas

Os atrasos nas plantações durante a primavera fizeram com que o desenvolvimento das lavouras de milho e de soja no meio-oeste americano ficassem bem aquém do normal. Esta imaturidade relativa deixou os produtores menos confiantes do que o normal em relação ao tamanho de suas safras e contribuiu para sua relutância em comprometer-se com vendas pré-colheita. 

“Ainda não sei ao certo o que teremos no futuro”, disse Andrew Goleman, produtor em Divernon, Illinois. Goleman disse que só se comprometeu a vender 5% de sua safra prevista. Em uma estação típica de crescimento, ele geralmente já teria fechado negócios para 40% de sua safra, no final de agosto. 

Calor e seca
O clima seco e as temperaturas escaldantes das últimas duas semanas no meio-oeste americano aumentaram a ansiedade dos produtores em relação à colheita. 

A instabilidade dos preços também é outro fator que faz com que os produtores não ‘apertem o gatilho’. O milho no mercado futuro caiu 29% desde 1º de janeiro na Bolsa de Chicago e ficaram 38% abaixo dos níveis do ano passado. Até agora, a soja caiu 4,3% este ano. 

As informações são do site AGprofessional 

Tradução: Fernanda Bellei
 

Tags:
Por: Notícias Agrícolas / Fernanda Bellei
Fonte: AGprofessional

Nenhum comentário