Seca deve atrasar plantios na América do Sul, segundo a Oil World

Publicado em 10/09/2013 17:45 e atualizado em 10/09/2013 18:57
1272 exibições

Produtores no Brasil e na Argentina, as maiores áreas de produção de soja e milho na América do Sul, estão passando por período de estiagem no início da temporada de plantio, de acordo com informações da Oil World.

A estiagem, que é normal no período de inverno nos estados do centro-oeste, se estende por Mato-Grosso e Goiás, e em diversas outras áreas de cultivo, segundo matéria publicada pela Bloomberg. Se prolongada, a estiagem poderá atrasar os plantios nessas áreas. Na Argentina, o clima seco também atinge áreas de trigo e atrasam o plantio de milho, soja e girassol, informaram pesquisadores em um relatório. As áreas de produção da Argentina tiveram 10% ou menos da média de chuvas em agosto. O Brasil provavelmente irá continuar seco até a terceira semana de setembro, de acordo com o relatório.

O clima seco no Brasil está "atrasando o início dos plantio de milho e soja e colocando em risco a germinação satisfatória", informou a Oil World, baseada em Hamburgo. "Ainda estamos no início da temporada, mas há um risco crescente de que a umidade insuficiente do solo irá resultar em queda nas próximas previsões de safra", segundo o relatório.

A soja no mercado futuro na Bolsa de Chicago subiu 12% desde o final de julho, com a seca e calor excessivos que ameaçam a safra nos Estados Unidos, o maior produtor da oleaginosa. O Brasil é o maior exportador global de soja e a Argentina é o segundo maior exportador de milho, depois dos EUA.

Apesar da seca no centro-oeste brasileiro, diversas partes do sul do Brasil, principalmente nos estados do Rio Grande do Sul e Paraná foram atingidas por chuvas fortes, assim como em áreas produtivas no Uruguai e no Paraguai, informou a Oil World. 

Plantios na Argentina
A Argentina iniciou plantios isolados de milho na primeira semana deste mês, mas mais chuvas são necessárias nas províncias de Cordoba e Santa Fé nas próximas duas a quatro semanas.

O clima seco indica que o plantio ficará abaixo dos 3,56 milhões de hectares, segundo estimativas da Bolsa de Cereais de Buenos Aires. 

O plantio de girassol foi temporariamente interrompido na Argentina na semana de 5 de setembro, devido às condições secas, ainda assim, os trabalhos no campo devem ser concluídos nas regiões do norte até o final deste mês. O plantio de girassol também deve cair este ano em relação à área inicialmente estimada em 1,9 milhões de hectares. 

O plantio de soja na Argentina geralmente começa em outubro ou início de novembro, então ainda há tempo para as chuvas chegarem, segundo informações da Oil World. Os recentes aumentos nos preços também devem encorajar produtores a expandir os plantios se as condições do clima melhorarem. 

Segundo a pesquisa, a soja ficou consideravelmente mais atrativa que o milho e outras culturas para produtores da América do Sul.  

A produção mundial de soja deverá ser de 280 milhões de toneladas na safra 2013/14, ou seja, 14 milhões de toneladas a mais que no ano passado. A Oil World informa que pretende divulgar novas previsões de demanda e produção para os 0 principais produtores de soja , em seu próximo relatório mensal. 

Informações: Bloomberg e Oil World.

Tradução: Fernanda Bellei

Tags:
Fonte: Bloomberg

0 comentário