Soja volta a cair, milho e trigo operam próximos da estabilidade

Publicado em 26/09/2013 08:06 e atualizado em 26/09/2013 11:04
1947 exibições

Os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago operam em queda na manhã desta quinta-feira (26). Por volta das 7h40 (horário de Brasília), os principais vencimentos perdiam entre 6 e 9 pontos, após encerrar a sessão anterior com ligeiras altas. O milho também exibia pequenas perdas, assim como o trigol, porém, operavam próximo da estabilidade.  

O mercado vive um momento de pressão sazonal em função do avanço da colheita da nova safra dos Estados Unidos. Segundo analistas, apesar da quebra na produção norte-americana em função da seca, estoques menores e uma demanda mundial ainda muito aquecida, a entrada efetiva dessa nova oferta pressiona as cotações. 

No entanto, o mercado vê suas altas sendo limitadas, ainda de acordo com os analistas, pelas expectativas para o novo relatório trimestral de estoques que o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulga na próxima segunda-feira (30). As projeções do mercado, segundo Stefan Tomkiw, analista da Jefferies Corretora, de Nova York, são de que o departamento traga números indicando estoques finais de soja bastante apertados, na casa de 3,4 milhões de toneladas. 

Veja como fechou o mercado nesta quarta-feira:

Soja tem sessão volátil, mas fecha o dia no campo positivo

Após uma sessão volátil, os futuros da soja fecharam os negócios dessa quarta-feira, na Bolsa de Chicago, em alta. Os primeiros vencimentos chegaram a subir quase 10 pontos e altas de 4,50 a 7 pontos foram registradas nas posições de mais longo prazo. O mercado até chegou a registrar algumas baixas, porém, voltou a subir e encerrou o dia do lado positivo da tabela. 

O momento é de espera para o mercado internacional de grãos, segundo os analistas. Os traders e investidores aguardam por uma definição da nova safra norte-americana de soja, que há pouco começou a ser colhida com os trabalhos de campo concluídos em apenas 3% da área até o último dia 22, segundo o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos). 

No entanto, devido ao pequeno percentual já colhido, o mercado ainda não consegue observar qual será a produtividade média obtida nas principais regiões produtoras. 

"Já começou a colheita nos EUA, para hoje e amanhã a previsão é de clima seco por lá, o que vai favorecer a entrada das máquinas, a produtividade ainda é incerta, tivemos chuvas no final de semana com boa cobertura, mas muita soja já foi afetada. Por isso, a incerteza é grande sobre o que vai se tirar realmente dessa safra americana e isso interfere nos preços", disse o analista de mercado Fernando Pimentel, da Agrosecurity Consultoria. 

Outro fator que permitiu o fechamento positivo do mercado, além da correção técnica e das expectativas do mercado, a cobertura de posições vendidas por parte dos fundos, segundo o analista de mercado Stefan Tomkiw, da Jefferies Corretora, de Nova York. 

Entretanto, para Tomkiw essa alta é pontual, já que o mercado se encontra em um momento sazonalmente de baixa dada a evolução da colheita nos Estados Unidos. Entretanto, os preços poderiam apresentar alguns repiques de alta em função de expectativas para o relatório de estoques trimestrais que o USDA divulga nesta segunda-feira (30). As projeções do mercado, ainda de acordo com Tomkiw, são de que o departamento traga números indicando estoques finais de soja bastante apertados, na casa de 3,4 milhões de toneladas. 

Tags:
Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário