Ex-ministro argentino afirma que mercado da soja salvou economia do país

Publicado em 10/10/2013 16:12 e atualizado em 10/10/2013 18:48
644 exibições

O ex-ministro da Economia da Argentina, Roberta Lavagna, disse, em entrevista ao jornal argentino Perfil, que a comercialização do complexo soja "salvou" o programa econômico de seu país. Segundo Lavagna, não fosse pelos altos preços que têm sido pagos pela oleaginosa, a economia argentina "já teria entrado em colapso".

Um dos benefícios trazidos pelo dinheiro que chega com a produção de soja da nação é o pagamento da energia, que é importada para o funcionamento da sociedade.  "Graças à produção de soja da Argentina, se pode pagar US$13 bilhões para importar energia", disse o ex-ministro. Além disso, lembra ainda que o cenário do país está bastante favorecido também pelo ingresso da China no mercado de consumo massivo de proteínas em geral.

Atualmente, a Argentina é um dos grandes exportadores mundiais de farelo de soja e, nesta semana, os preços do produto atingiram seu mais alto preço em âmbito mundial. De acordo com o consultor de mercado do SIMConsult, Liones Severo, na segunda-feira (7), o farelo de soja brasileiro foi negociado com prêmio acima de 100 dólares por tonelada curta

Roberto Lavagne foi ministro da Economia de 27 de abril de 2002 a 27 de novembro de 2005, durante os governos de Eduardo Dualde (2002-2003) e Néstor Kirchner (2003-2005). O ex-ministro lembrou que, quando ocupava o cargo, a soja valia cerca US$218 por tonelada no mercado internacional. "No entanto, desde 2007, os preços se estabelecem entre US$480 e US$580 a tonelada". 

Com informações do site argentino Todo El Campo. 

 

Tags:
Por: Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário