Soja: ainda operando estável, mercado registra ligeiras altas na CBOT

Publicado em 15/01/2014 11:26 e atualizado em 15/01/2014 12:10 913 exibições

Nesta quarta-feira (15), o mercado da soja opera com estabilidade. Os futuros da oleaginosa registram movimentos pouco expressivos, já oscilaram entre os dois lados da tabela e fecharam o pregão eletrônico com perdas de menos de 1 ponto na Bolsa de Chicago. Às 13h (horário de Brasília), porém, o mercado operava com pequenas altas de 1 a 4 pontos nas posições mais negociadas. 

As operações pouco expressivas do mercado se dão como uma correção das cotações após duas sessões consecutivas de altas. Em função de uma demanda ainda muito firme, o mercado se mantém sustentado e com foco nesses fundamentos. 

A procura pela soja norte-americana segue bastante intensa, principalmente por parte da China, porém, todo o volume estimado para ser exportado pelo Estados Unidos durante a temporada comercial 2013/14, que se encerra em agosto, já foi superado e os estoques finais no país são historicamente baixos. 

É esse quadro, portanto, que mantém as expectativas dos analistas de um mercado ainda firme, mesmo acreditando que os preços sentirão uma pressão sazonal com a entrada da nova safra da América do Sul. Entretanto, já afirmam que, apesar de bastante volumosa, essa produção será insuficiente para atender a demanda mundial por soja com tranquilidade. 

A Oil World, em um boletim divulgado nesta terça-feira (14), também mostrou suas expectativas para os preços e aposta em uma pressão nos próximos meses, justificada por esse expressivo incremento na safra sulamericana.  

Ao mesmo tempo, a consultoria confirma o significativo da demanda mundial pela commodity. Segundo números da Oil World, somente de setembro a dezembro, as exportações de soja da América do Sul e dos Estados Unidos somaram 32,72 milhões de toneladas, registrando um aumento de 23% em relação ao mesmo período da temporada anterior. Além disso, indicou que o aumento no esmagamento de soja sulamericano e norte-americano totalizaram 40,6 milhões de toneladas, 6,9% a mais do que há um ano. 

Desde o início do ano comercial, informa a consultoria, a China já recebeu 71% das exportações de soja dos Estados Unidos, volume considerado recorde.

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário