Chicago: Soja opera em alta com foco na escassez de produto nos EUA

Publicado em 27/03/2014 07:59 1764 exibições

Nesta quinta-feira (27), o mercado internacional da soja registra mais um pregão de volatilidade. Após recuar levemente mais cedo, por volta das 7h50 (horário de Brasília), as principais posições subiam pouco mais de 4 pontos. O maio/14 tentava buscar os US$ 14,50 por bushel, valendo US$ 14,46 com 6 pontos positivos, e o julho/14 era cotado a US$ 14,14. Nos vencimentos de mais longo prazo, os ganhos eram mais tímidos. No melhor momento dessa sessão, o primeiro contrato atingiu o melhor patamar em uma semana. 

O mercado continua mantendo um firme suporte em seus fundamentos de oferta e demanda, principalmente diante do cenário norte-americano. Os estoques de soja do país são extremamente ajustados e o consumo do produto norte-americano segue intenso, tanto pela demanda interna quanto para exportação. 

O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulga hoje seu novo relatório semanal de exportações e deve elevar o número de 44,4 milhões de toneladas já exportadas no acumulado do ano comercial 2013/14. Os rumores que rondavam o mercado de que a China estaria fazendo movimentos de washouts (troca de origem) não se confirmaram como o mercado esperava e isso tem refletido positivamente nas cotações.

Paralelamente, os negócios em Chicago para os grãos são pautados também pelas expectativas dos investidores sobre o boletim que o USDA divulga na próxima segunda-feira, dia 31 de março. O relatório irá divulgar os estoques trimestrais do país em 1º de março e o que acreditam os analistas e investidores é de que esse pode ser o menor volume para o período em 10 anos, o que agravaria ainda mais a situação de escassez nos EUA. 

Entretanto, até que essas informações sejam divulgadas, os negócios acontecem de forma mais cautelosa, e o mercado acaba operando com uma volatilidade mais intensa nessa semana pré-relatório. 

Veja como fechou o mercado nesta quarta-feira:

Soja: após pregão volátil, mercado fecha positivo em Chicago

Em um pregão de intensa volatilidade, o mercado da soja conseguiu reagir e fechou em alta nesta quarta-feira (26) na Bolsa de Chicago, com ganhos de dois dígitos para o primeiro vencimento. O contrato maio/14, referência para a safra brasileira e o mais negociado nesse momento, encerrou o dia valendo US$ 14,40 por bushel. Já o julho retomou o patamar e terminou o dia cotado a US$ 14,10, subindo 8,75 pontos. 

A alta nas cotações, segundo analistas, reflete a situação norte-americana de estoques historicamente apertados e a forte demanda pela soja dos Estados Unidos, que continua acontecendo em um ritmo bastante forte, confirmado pelos números das exportações - de 44,4 milhões de toneladas - e dos embarques - de mais de 39 milhões de toneladas - no acumulado da temporada 2013/14, que só se encerra em agosto. 

Além disso, as expectativas de que os estoques trimestrais dos EUA em 1º de março que serão divulgados pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) na próxima segunda-feira (31) podem ser os menores em 10 anos para este período, completou o quadro de suporte para os preços. As projeções do mercado são de que os estoques sejam reportados em aproximadamente 26,8 milhões de toneladas. 

"A indicação é de que haja uma retração significativa nos estoques da soja", acredita o analista de mercado Mario Mariano, da Novo Rumo Corretora, e "também um aumento das exportações", diz, referindo-se ao novo boletim semanal dos embarques dos Estados Unidos, os quais já superam as 39 milhões de toneladas no acumulado do ano comercial 2013/14, contra a estimativa de exportação do USDA de 41,6 milhões de toneladas.  

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário