Soja fecha novamente em alta em Chicago com demanda e exportações firmes

Publicado em 19/06/2014 17:40 1510 exibições

Os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago fecharam o pregão em alta nesta quinta-feira (19). Os fundamentos voltaram a dar sustentação para a oleaginosa, que tem oferta extremamente apertada e demanda em alta.

O contrato para entrega em julho encerrou o dia valendo US$ 14,20 o bushel, com alta de 11,75 pontos. O agosto fechou em US$ 13,69; setembro encerrou o prego com alta de 13,50 pontos, em US$ 12,63 o bushel e o contrato para entrega em março/2015 avançou 14,25 pontos, negociado a US$ 12,40 o bushel. O farelo e o óleo de soja também encerraram a sessão com altas. 

De acordo com o site norte-americano Farm Futures, o anúncio do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) de que exportadores privados dos EUA teriam vendido 140 mil toneladas de soja para destinos não revelados para entrega durante o ano comercial 2013/14, teria ajudado a sustentar os preços desde ontem. 

Analistas alertam que o mercado futuro da soja deve continuar a operar com forte volatilidade frente às notícias de uma nova safra cheia nos Estados Unidos. O plantio da oleaginosa está se aproximando da conclusão e o clima se mantém extremamente favorável para o desenvolvimento da safra. 

Milho: Mercado encerra sessão em alta com altas acima dos 8,00 pontos

O milho também teve uma sessão positiva nesta quinta-feira (19) na Bolsa de Chicago (CBOT). Os contratos para entrega mais próxima encerraram com altas acima dos 8,00 pontos.

O contrato para entrega em julho encerrou o dia cotado a US$ 4,50 o bushel, depois de ganhar 9,00 pontos. O vencimento setembro avançou 8,75 pontos e encerrou a sessão valendo US$ 4,44 o bushel, o contrato para entrega em dezembro subiu 8,00 pontos e é cotado a US$ 4,44 o bushel. O vencimento março/15 também subiu 8,00 pontos e é cotado a US$ 4,57 o bushel. 

Agências internacionais de notícias informam que os produtores norte-americanos estão segurando suas vendas, a espera de novas altas nos preços, o que pode ter ajudado a sustentar as altas.

Além disso, a demanda por milho para a produção de ração animal também continua em alta.   

O site norte-americano Agweb informou hoje que a produção de etanol de milho teve uma forte alta na semana passada, para 972 mil barris por dia. Diante da notícia, o preço do etanol caiu para seu menor patamar em seis semanas. 

Fatores climáticos
Apesar do clima extremamente favorável até agora para o desenvolvimento do milho, serviços meteorológicos alertam para o risco de fortes chuvas nos próximos dias no Meio-Oeste americano, com potencial de provocar enchentes no leste da Dakota do Sul e de Nebraska.   

Tags:
Por:
Fernanda Bellei
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário